Quase decolando

 

Imagine uma constelação de estrelas automotivas – Ferrari, Lamborghini, Porsche, Mercedes e BMW, entre outros – acelerando à vontade. Foi o que aconteceu no início do mês passado em um evento mais que exclusivo: a segunda etapa do Driver Cup, que aconteceu em Gavião Peixoto, no interior de São Paulo – mais precisamente na pista de testes de aviões da Embraer. No evento, promovido pela revista Driver, os participantes buscaram atingir a maior velocidade possível na pista de pouso, a terceira mais longa do mundo, com 4.967 metros de extensão e 95 metros de largura.

O Pagani Zonda acima conseguiu entrar para o seleto clube dos 38 carros que passaram dos 300 km/h. Divididos em três categorias, eles tinham direito a duas aceleradas na enorme reta

A competição contou com 80 inscritos, divididos em três grupos (Sport, GT e Extreme). Dentro de cada um deles, os veículos foram novamente divididos segundo a relação peso/potência mais parecida.Os veículos do grupo Sport, com todas as especificações originais de fábrica, aceleram em um percurso de uma milha (exatos 1.609 metros) – a mesma distância usada pelos participantes da categoria Extreme, da qual participam os veículos extremamente modificados e com potências acima da casa dos 700 cv. Já os carros da categoria GT aceleravam no percurso de duas milhas (3.218 metros), largando parados e com a velocidade medida apenas no final da reta. A prova foi baseada no padrão da SCTA (Southern California Timing Association), que realiza provas de velocidade em Bonneville (EUA). Cada participante acelerou duas vezes, uma de manhã e outra à tarde.

 

O grande vencedor foi este Porsche 993 biturbo, que alcançou quase 379 km/h em apenas 3.218 metros

Nada menos que 40 participantes atingiram a marca de mais de 300 km/h, mas o grande destaque foi Alejandro Sanchez, que, acelerando seu Porsche 993 biturbo modificado, na categoria Extreme, alcançou nada menos que 378,947 km/h – a melhor marca do dia. Na categoria GT, o vencedor foi outro Porsche, agora um modelo GT2, que atingiu 352,941 km/h, e, na Categoria Sport, um BMW M5 chegou a 293,878 km/h. Entre os veículos que entraram para o seleto clube de mais de 300 km/h, temos um domínio dos Porsche, com 17 veículos, seguidos dos Mercedes-Benz AMG (seis carros), dos Chevrolet Corvette (cinco), das Ferrari (três), além de dois Audi R8, dois BMW M e dois Lamborghini. Completando a grupo, com apenas um representante cada, aparecem Nissan GT-R, Pagani Zonda e Mustang Shelby.

“Este evento é uma oportunidade única para acelerarmos com toda liberdade e segurança. Seria impossível imaginar uma competição com esta quantidade de participantes há alguns anos. É uma prova de que este mercado está em plena expansão”, afirmou o customizador e piloto Fernando Baptista, mais conhecido como Batistinha, que correu com um Mustang Shelby GT500 modificado em sua oficina e conseguiu atingir 311,688 km/h. Segundo os organizadores, ainda este ano – no quarto trimestre – deve haver uma nova prova, nos mesmos moldes. Saiba mais a respeito no site www.revistadriver.com.br.

Abaixo, as máquinas se reúnem perto do galpão da Embraer antes de ir para a pista. Ao lado, alguns dos “brinquedos”: em raras ocasiões se veem, aqui no Brasil, tantos sonhos de consumo reunidos no mesmo espaço. Talvez só mesmo no Salão do Automóvel

 

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorTecnologia das pistas para a rua
Próxima notíciaContato