Quatro Cilindros em M

Roberto Assunção

M3, M5, M6… os BMW mais esportivos começam sempre com a letra M. Afinal, ela indica que foram apimentados pela preparadora da fabricante, a M Sport. Mas note que aqui essa marca vem apenas no sobrenome: o Série 1 das fotos chama-se 125i M Sport. Como não se trata de um legítimo M, apesar do visual incrementado por spoilers, para-choques exclusivos e outros detalhes, sob o capô lhe é permitido ter um motor mais manso, com apenas quatro cilindros em linha. Mas isso não significa que decepcione ao volante.


A potência do motor 2.0 com turbo twinscroll é de razoáveis 218 cv e o torque de 31,6 kgfm não é nada de outro mundo, mas está totalmente disponível das 1.350 às 4.800 rotações. Em conjunto com o acerto esportivo típico dos BMW e da excelente transmissão, essa unidade proporciona bastante diversão. A aceleração até 100 km/h na casa dos seis segundos e as retomadas são mais que suficientes para a maioria dos mortais. O câmbio é automático, mas tão rápido que parece um automatizado de dupla embreagem. No modo sequencial, responde imediatamente. No automático, navega suavemente entre as oito marchas. Fazem falta apenas as borboletas junto ao volante, não disponíveis na unidade avaliada pois, estranhamente, são vendidas como opcionais (em um pacote de R$ 5 mil junto com os bancos de couro).

Nas suspensões, considerando-se que é um BMW, o equilíbrio entre conforto e esportividade é bom. Há, como em outros modelos da marca, ajustes que vão do ecológico ao esportivo, modificando respostas do volante e do acelerador, além da carga dos amortecedores. As rodas aro 18 com pneus de perfil baixo, no entanto, transmitem muito ruído de rodagem para a cabine (até os olhos de gato entre as faixas incomodam). Já o sistema de direção é direto e preciso, embora o aro do volante seja, como de costume, muito grosso.

No interior, os bancos prendem bem o corpo e têm ajuste de comprimento do assento, mas a sensação geral dos ocupantes é de falta de espaço. A lista de equipamentos é completíssima, com itens como ar de três zonas, faróis de xenônio, teto-solar e central multimídia com GPS. Em um carro vendido por R$ 154.950, não podia ser diferente.

Já para quem acha que o desempenho aqui não basta, a marca tem outro Série 1 cujo nome se inicia com a famosa letra: o M135i, que beira os R$ 200 mil e tem motor seis cilindros de 320 cv e mais de 45 kgfm acoplado a uma transmissão manual de seis marchas. Uma máquina bem mais cara e esportiva, sem dúvida, mas oferecida só na versão duas portas, o que tira parte da praticidade no dia-a-dia, além de limitar ainda mais o espaço interno. Precisar dele, ninguém precisa. E talvez para a maioria dos consumidores esse 125i M Sport seja até mais interessante. Mas não tem tudo o que se espera de um M.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorEm busca do Quinhão
Próxima notíciaA Nova Fórmula do Luxo