Questão de genética

0
7226

O Subaru Impreza hatch com motor 2.0, versão amansada do famoso WRX, foi lançado no Brasil em 2008. “Um belo esportivo de ótima dirigibilidade com preço competitivo”, a rmou MOTOR SHOW na época. Hoje, muitos buscam esse carro por sua esportividade – DNA do mundo dos ralis, suspensões independentes, tração integral e motor de 160 cv – e preço relativamente baixo: com quatro anos de uso, pode ser adquirido por cerca de R$ 42 mil.


Os mecânicos con rmam que se trata de uma boa compra. “Os Subaru Impreza são verdadeiros tratores, con áveis e com um motor boxer excelente”, a rma Mauro Frison, proprietário da o cina Frisontech. Mas, segundo ele, o custo de manutenção é alto e não há muitas peças disponíveis no mercado paralelo. “Na hora da compra, cuidado com a procedência do carro, que pode ter sido mexido por preparadores”, explica Mauro. A dica é a mesma de Daniel Bernardino de Campos, da o cina Garagem Subaru.

Para se trocar um simples ltro de combustível na concessionária, gasta-se cerca de R$ 500. Atenção especial deve ser dada à transmissão. Caso ela precise ser substituída, você pode dar adeus ao seu esportivo, já que uma caixa nova sai por R$ 36.576 na autorizada Subaru. “Esse carro não quebra. Cerca de 80% dos modelos que entram aqui são para fazer a manutenção de rotina. Nunca z sequer reparos na transmissão”, defende Campos, que trabalha só com carros da marca. “A grande queixa dos proprietários é sobre o desgaste prematuro dos pneus Yokohama. Fora isso, não dá problema. Nem mesmo na parte elétrica”, completa.

Por conta do preço das peças e do alto risco de envolvimento em acidentes (por seu desempenho e pelo per l do consumidor), o seguro também é caro. No melhor per l, custa 10% do valor do carro. E pode chegar a um terço. “Eu gosto muito do carro, mas acho o seguro caro”, a rma o proprietário Aldir Mendes de Souza Filho. “Além disso, só encontro peças na concessionária e o acabamento deixa a desejar”, completa.

Já para Almir dos Anjos Padial, esses são apenas detalhes. “Além de atender às minhas necessidades, não acho que tenha manutenção cara.” Ele gastou R$ 1.700 na última revisão de seu Impreza, mas considerou o preço justo. “Os gastos compensam, pelo carro que é.” A conclusão parece óbvia: se você está à procura de um carro con ável e esportivo, aposte nesse Subaru. Mas procure uma unidade bem conservada e que atento à manutenção preventiva. De resto, é só diversão!

Preços: D&G Corretora (11) 3985-3118 – Porto Seguro. Entre parênteses, o valor do seguro em percentual do valor do carro

Como o foco do Impreza sempre foram desempenho e mecânica, o painel tem linhas um tanto ultrapassadas e o acabamento é apenas razoável. A posição de dirigir é muito boa, e o volante tem respostas bem diretas

GOSTEI…

“É o meu segundo Subaru. O motor boxer é ótimo e sua tração integral é um diferencial. Me sinto seguro com ele”

Aldir de Souza Filho proprietário

NÃO GOSTEI…

“Ele merecia um teto solar e bancos de couro. Outros problemas estão nos custos da mão de obra e das peças.”

Almir Padial proprietário

MERCADO

Em um ano, o Impreza teve desvalorização de 13,2%, maior que a do Hyundai i30 (4,4%), mas menor que a do Ford Focus (18%)

Pelo mesmo preço

Ford Fusion SEL 2.3 2008 R$ 43.969

Longe da esportividade do Subaru, o Fusion de primeira geração tinha câmbio automático de quatro marchas e suspensões muito macias. Para compensar, o espaço interno é muito mais amplo, o porta-malas é bastante generoso e o acabamento interno, apesar de não ser primoroso, é sensivelmente superior.

GM Vectra Elite Aut. 2008 R$ 42.750

O Vectra que deu adeus ao mercado nacional no ano passado é mais espaçoso e confortável, mas o desempenho, principalmente com câmbio automático, é sofrível. Tem a vantagem da enorme rede de concessionárias Chevrolet e, nesta versão topo de linha, vem com uma boa lista de equipamentos de conforto e conveniência.

Kia Sportage EX 2.0 2008 R$ 47.333

Por um tanto a mais, a antiga geração do Kia Sportage pode ser uma opção atraente. Nunca foi campeão de ralis, mas também tem tração integral e boa altura livre do solo. Sofreu grande desvalorização com a chegada da nova geração e, por isso mesmo, tem um preço bastante interessante.

Subaru Impreza 2.0

MOTOR quatro cilindros horizontais contrapostos (boxer), 16V TRANSMISSÃO manual, cinco marchas, tração integral DIMENSÕES comp.: 4,41 m – larg.: 1,74 m – alt.: 1,48 m ENTRE-EIXOS 2,620 m PORTA-MALAS 301 a 774 litros PNEUS 205/60 R16 PESO 1.325 kg

● GASOLINA POTÊNCIA160 cv a 6.400 rpm TORQUE 20 kgfm a 3.200 rpm VELOCIDADE MÁXIMA 193 km/h 0 – 100 km/h 9,6 segundos CONSUMO cidade: 9 km/l – estrada: 14,5 km/l CONSUMO REAL cidade: 6,9 km/l – estrada: 10,3 km/l

Fonte: Fenabrave

Quem é rei nunca perde a majestade. A Fiat Strada continua na liderança do segmento de picapes pequenas, com 8.622 unidades comercializadas em fevereiro. Logo em seguida, aparece a Saveiro (4.613) e, na terceira posição, a Montana (2.485). Já no segmento de SUVs, o novo CR-V conseguiu manter a liderança entre os rivais de mesmo porte e preço, posição que já tinha na geração anterior: foram vendidas 1.131 unidades no segundo mês do ano. Bem atrás, vêm ASX (695 emplacadas em fevereiro), Captiva (685), Sportage (585) e SW4 (460).

€ 15,8 BI

foi o faturamento global da Volkswagen no ano passado. Em 2011, a marca alemã comercializou 8,3 milhões de veículos, entre automóveis e comerciais leves, ao redor do mundo, ficando em segundo lugar no ranking de vendas. Mesmo com o bom resultado, se considerarmos somente a divisão automotiva da Volks, houve uma queda de 8,6%.

Fonte: Fenabrave

GENERAL MOTORS E PEUGEOT CONFIRMAN ALIANÇA

A Opel, divisão alemã da General Motors, confirmou a aliança com a PSA (Peugeot-Citroën). A GM ficou com 7% do grupo francês e a PSA recebeu um € 1 bilhão para aumentar o seu capital com o aporte de novas ações. O acordo também busca o compartilhamento de plataformas, tecnologias, matérias- primas e fornecedores para diminuir os custos. As duas marcas planejam gerar um faturamento de US$ 2 bilhões anuais nos próximos cinco anos. Mas os primeiros frutos concretos dessa parceria serão conhecidos apenas em 2016.

O problema está nas travas dos faróis dos modelos Cayenne, Cayenne Diesel, Cayenne S Hybrid, Cayenne S e Cayenne Turbo fabricados entre 2010 e 2012. Há o risco de desprendimento do conjunto óptico da carroceria. Os proprietários devem comparecer às concessionárias para instalar uma mola extra de retenção. Maiores informações no site www.porsche.com.br.

MERCADO EM QUEDA NO COMEÇO DO ANO

Segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), em fevereiro foram produzidos 217,8 mil veículos, contra 211,8 mil em janeiro – uma alta de 2,9%. Mas, comparado ao primeiro bimestre do ano passado, houve uma queda de 19,5%. Os licenciamentos também tiveram mau desempenho. No total, fevereiro registrou 249,5 mil unidades ante 268,3 mil de janeiro. O mercado de trabalho teve um crescimento de 4,9% e soma 145,3 mil empregados. O nível de estoque é de 37 dias.

KIA MOTORS REGISTRA CRESCIMENTO NAS VENDAS GLOBAIS

A marca registrou em fevereiro 205.876 unidades vendidas fora da Coréia do Sul um crescimento de 21,3% sobre igual período do ano passado. No acumulado do primeiro bimestre, houve um aumento de 12% em relação a 2011. Na Europa, a elevação foi de 30,6% (incluindo a Europa Ocidental e Oriental). Nos mercados gerais – América do Sul e Central, Caribe, Ásia (menos China e Coreia), Pacífico, Oriente Médio e África, a alta foi de 5%.

O modelo mais vendido foi o Rio, com 37.146 unidades. Na sequência, vieram Cerato (26.615), Sportage (25.011), Optima (18.444) e Sorento (15.947).

Fonte: ANP 11/02/2012 a 17/03/2012

SETOR DE DUAS RODAS ESFRIA

De acordo com a Abraciclo, o setor das duas rodas se retraiu 5,1% em fevereiro. Entre os motivos está a dificuldade na liberação do crédito aos consumidores. No mês passado, foram comercializadas 149.029 unidades 3,7% menos que em janeiro). Já as exportações tiveram índices positivos. Ao todo, foram enviadas a outros mercados 8.737 motocicletas. A produção sofreu uma queda de 6,1%, com um total de 330.094 unidades fabricadas. No mesmo período do ano passado, foram produzidas 351.529 motos.

276.835

Segundo a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), esse foi o total de motocicletas (nacionais e importadas) emplacadas no primeiro bimestre deste ano.

PARTICIPAÇÃO DOS IMPORTADOS DIMINUI

Por conta do aumento no IPI, a Abeiva, Associação Nacional das Empresas Importadoras de Veículos Automotores fechou o mês de fevereiro com uma baixa de 8,2% em relação a janeiro. Ao todo, foram emplacados 10.430 veículos. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve uma retração de 12,3%. A queda nas vendas refletiu em 4,42% de participação das associadas da Abeiva no mercado, em janeiro do ano pasado, ela era de 4,60%. No acumulado do ano, as importadoras somam 21.797 unidades.

RENAULT COMEMORA BOM MOMENTO

A marca francesa teve um crescimento de 25,3% no volume de emplacamentos na comparação com fevereiro do ano passado. No total, foram 16.132 veículos emplacados, que asseguraram 6,8% de participação de mercado. Nesse primeiro bimestre, a Renault teve um crescimento de 36%. Os bons resultados são atribuídos à expansão da rede. De acordo com a marca, cerca de 210 novas concessionárias serão abertas este ano. O Novo Sandero teve 6.025 unidades emplacadas e a perua Grand Tour somou 1.131 unidades – uma alta de 169% sobre o ano passado.

FIAT-CHRYSLER ENCERRA 2011 ACIMA DAS EXPECTATIVAS

O grupo Fiat-Chrysler terminou o ano passado com receitas de € 59,6 bilhões, um crescimento de 66% sobre 2010 (ano em que não incluíam as operações da Chrysler). A liquidez total foi de € 20,7 bilhões, e a dívida industrial reduzida para € 5,5 bilhões. As duas empresas produziram quatro milhões de veículos. A Chrysler vendeu mais de dois milhões de unidades ao redor do mundo entre junho e dezembro. No Brasil, o volume de vendas do grupo foi de 772.700 veículos, 1,6% mais que em 2010.

SHARE
Artigo anteriorMercado
Próximo artigoContato