Renault Captur aposta nas versões 1.6 com CVT

Há um ano, a participação da Renault no mercado de SUVs resumia-se ao Duster. Mas o fabricante francês cumpriu o que prometeu e agora já tem o Captur, com seu belíssimo design, como seu carro mais importante desse segmento (pelo menos em termos de imagem). Para que o Captur seja protagonista e não coadjuvante, a Renault lançou duas versões extras para o SUV, ambas equipadas com motor 1.6 SCe flex: X-Tronic CVT Zen e X-Tronic CVT Intense. Lembrando que no início de 2017 o Captur fez sua estreia com as versões Zen 1.6 manual (cinco marchas) e Intense 2.0 automática (quatro marchas).

Desde que introduziu o câmbio CVT, as vendas dobraram. Avaliamos o Captur 1.6 CVT na configuração Intense. O câmbio do tipo X-Tronic tem polias menores, que são lubrificadas por bomba e não por imersão, para gerar menos atrito, e uma tecnologia que o deixa mais elástico que a média. O motor 1.6 SCe, em conjunto com o câmbio CVT, entrega um rodar mais suave. Mas as boas médias de consumo de gasolina surgem somente no modo Eco: fizemos 9,9 km/l na cidade (no modo normal, marcamos 7,3 km/l).

Seu principal atrativo é a beleza – difícil ficar impassível diante do visual arrebatador. A pintura em dois tons também recebe elogios, mas é opcional. Outro item positivo é o sistema multimídia. De série na versão Intense, é opcional na Zen e custa mais de R$ 2.000. A tela de 7” sensível ao toque do Media Nav oferece navegador off-line e um interessante sistema que marca as médias de consumo do motorista e dá nota à sua condução (e dicas para dirigir de forma mais econômica). Para completar, há uma ótima câmera de ré, útil num SUV.

O Captur também permite boa visibilidade do exterior, uma suspensão ajustada para não deixar o carro mole (mas com capacidade de filtrar as saliências do piso), bancos confortáveis, bom espaço interno e comandos bem intuitivos. Peca por não oferecer ajuste de profundidade do volante – faz realmente muita falta para quem gosta de dirigir sem esticar os braços e não quer o assento muito na frente. Com quatro estrelas no teste de impacto do Latin NCAP, o Captur CVT já vem com quatro airbags na versão Zen e tem controles de tração e estabilidade. Está no jogo!


Ficha técnica:

Renault Captur 1.6 SCe X-Tronic CVT Intense

Preço versão Zen 1.6 16V SCe: R$ 80.450
Preço versão Zen CVT 1.6 16v SCe: R$ 86.450
Preço versão Intense CVT 1.6 16V SCe: R$ 89.950
Preço versão Intense 2.0 16V: R$ 93.650
Motor: 4 cilindros 1.6, 16V, sistema de regeneração de energia
Cilindrada: 1597 cm3
Combustível: flex
Potência: 118 cv a 5.500 rpm (G) e 120 cv a 5.500 rpm (e)
Torque: 16,2 kgfm a 4.000 rpm (g/e)
Câmbio: automático, CVT, seis marchas simuladas
Direção: eletro-hidráulica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,329 m (c), 1,813 m (l), 1,619 m (a)
Entre-eixos: 2,673 m
Pneus: 215/60 R17
Porta-malas: 437 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.286 kg
0-100 km/h: 14s5 (g) e 13s1 (e)
Velocidade máxima: 168 km/h (g) e 169 km/h (e)
Consumo cidade: 10,5 km/l (g) e 7,3 km/l (e)
Consumo estrada: 11,7 km/l (g) e 8,1 km/l (e)
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Desempenho
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorVolvo XC60
Próxima notíciaSubaru Forester