Ridgeline, picape Honda com construção de Toro e porte de Hilux, ganha novo visual

Picape monobloco, como a Fiat Toro, a Honda Ridgeline tem tamanho de Toyota Hilux. Produzida nos EUA desde 2004, ela enfim ganhou um visual mais inspirado

Honda Rugged

A Honda dos Estados Unidos revelou as primeiras imagens da sua picape Honda Ridgeline 2021. Apesar de pouco conhecida no Brasil, trata-se de uma picape muito interessante, com construção com monobloco, como a Fiat Toro, mas porte de Toyota Hilux. O design sempre foi seu maior ponto fraco, mas agora vai ficar bem mais inspirado.

Se você acha que a Fiat revolucionou o mercado a lançar a Toro, uma picape feita com a base de carro – um monobloco, e não uma cabine sobre chassis, como são as médias Chevrolet S10, Toyota Hilux, Ford Ranger e cia., – você está certo. 

De fato, esse conceito de picape com monobloco nasceu faz muito tempo, mas era usado aqui apenas em picapinhas menores, como Fiat Strada, VW Saveiro, etc. A Fiat inovou ao fazer uma picape maior, com quase 5 metros de comprimento, usando esse mesmo conceito. E teve resultados comerciais muito bons.

PIONEIRA

Mas a Honda já fazia isso nos EUA desde o final de 2004, quando surgiu a primeira geração da Ridgeline. Além de ter surgido antes que a Toro, a Ridgeline tem um porte bem maior. Com 5,33 metros de comprimento, fica bem próxima de Toyota Hilux, Chevrolet S10, Ford Ranger e cia.

Só falta um motor a diesel, mas os americanos preferem a gasolina. A Honda Ridgeline usa um V6 de 3,5 litros com 284 cv de potência. A transmissão é automática de nove marchas, e a tração pode ser 4×2 ou integral, AWD, com 70% do torque sendo enviado às rodas traseiras – com vetorização de torque, que pode enviar 100% desta força  para apenas uma das rodas. Tem, ainda, modos areia e lama.

+Volkswagen, Fiat ou Chevrolet: quem será líder de vendas em 2020? Façam suas apostas (e confiram a minha)
+Avaliação: Chevrolet Trailblazer 2021 é SUV de verdade com preço atraente

VANTAGENS

Ser uma picape monobloco traz vantagens à Ridgeline. Além do peso menor, que resulta em um menor consumo de combustível, a construção com monobloco permite usar suspensões traseiras independentes, enquanto as picapes sobre chassi tem eixo rígido com feixe de molas, que reduzem bastante o conforto ao rodar.

Outra vantagem da Ridgeline está no porta-malas “dentro da caçamba”. A parte de trás da caçamba tem uma tampa tipo alçapão, que pode ser trancada por fora, com ótima vedação. Dentro deste compartimento, dá para levar até 210 litros de bagagem.

Outra característica da Honda Ridgeline “copiada” pela Toro é a abertura da tampa da caçamba. Na verdade, a tampa da da picape da Honda é até melhor, porque pode ser aberta tanto para baixo, como nas picapes médias normais, como para o lado (em uma peça só, não duas, como na Toro).

NO BRASIL?

Por que a picape Honda não veio até hoje para o Brasil? Bem, feita sobre a base do SUV Honda Pilot – mas com muitas modificações, a Honda Ridgeline é um produto muito focado no mercado norte-americano, e é fabricada só por lá. Ainda mais agora, com a cotação do dólar nas alturas, fica inviável para venda no Brasil.

Além disso, os compradores de picapes médias que as usam para trabalho pesado veem certa fragilidade em modelos monobloco – embora a marca garanta sua robustez e capacidade off-road. Mas, não fosse a questão do preço, achamos que ela poderia fazer sucesso por aqui. Afinal, tem muita gente que compra picape para um uso mais leve ou recreativo, e não precisa de “um tanque de guerra” – com já provou a Fiat Toro. Mas um motor a diesel cairia bem…

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar