Rolls-Royce deseja quebrar recorde de velocidade com avião elétrico

Aeronave utiliza uma bateria de 6.000 células com capacidade para abastecer 250 casas

Rolls-Royce
Foto: Rolls-Royce

A Rolls-Royce apresentou o seu avião totalmente elétrico no Aeroporto de Gloucestershire, em Staverton, na Inglaterra. O ionBird é parte de uma iniciativa chamada ACCEL (Accelerating the Electrification of Flight ou Acelerando a Eletrificação de Vôo, em tradução livre).

Os três motores axiais acionam a hélice e são alimentados por uma bateria de 6.000 células, que oferece energia suficiente para abastecer 250 casas ou ir de Londres para Paris (aproximadamente 322 km), com apenas uma carga. Estão disponíveis mais de 500 cv de potência.

O objetivo é de alcançar 480 km/h de velocidade máxima e com emissão zero de poluentes. Caso consiga, o recorde será publicado no Guinness World Records. O registro atual pertence ao avião acrobático Extra 330LE da Siemens (337.50 km/h).

“Construir a aeronave totalmente elétrica mais rápida do mundo é nada menos que uma mudança revolucionária na aviação”, conta Rob Watson, diretor da Rolls-Royce Electrical.

O projeto ACCEL é uma das maneiras encontradas pela Rolls-Royce para diminuir a emissão de CO2. E já foi estabelecida uma parceria com a Airbus, no projeto E-Fan X, para a construção de aviões comerciais de corredor único (narrowbody) com propulsão elétrica híbrida.

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel