Salão de Paris aposta na eficiência

Divulgação

A cada dois anos a charmosa capital francesa abriga um salão do automóvel cuja realização alterna-se com o de Frankfurt, na Alemanha. Nessa 81a edição, que aconteceu de 4 a 19 de outubro, algumas das novidades reveladas já estão com o passaporte carimbado para o Brasil e também estarão no Salão de São Paulo (a partir da página 22). Mas antes confira aqui quais foram as estrelas que brilharam somente em Paris.

Lamborghini Asterion
O Lamborghini Asterion LPI 910-4 é uma resposta à Ferrari LaFerrari (963 cv), ao McLaren P1 (916 cv) e ao Porsche 918 Spyder (887 cv). O primeiro carro híbrido da Lamborghini é apenas um estudo, mas tem motor V10 5.2 de 610 cv, que está combinado a três propulsores elétricos. No total, são 910 cv de potência. A transmissão é de dupla embreagem e sete marchas. O Asterion pode rodar até 50 quilômetros somente no modo elétrico e sua autonomia média é de 23,8 km/l. Segundo o fabricante, ainda não está confirmado o início de sua produção.

Ferrari 458 Speciale Aperta
A Ferrari 458 Speciale Aperta terá 499 unidades feitas e de especial o modelo tem teto de alumínio retrátil, que leva 14 segundos para abrir ou fechar – esse sistema adicionou 50 quilos no peso do superesportivo. Outro diferencial é a carroceria pintada de amarelo com uma faixa central. O motor V8 4.5 oferece 605 cv de potência. É desempenho suficiente para ir de 0-100 km/h em 3,0 segundos e de 0-200 km/h em 9,5 segundos. Por enquanto, segundo uma pessoa ligada à marca, essa Ferrari ainda não está confirmada para o Brasil.

Mini 5 portas
O Mini passa a ter uma versão hatch de cinco portas e as vendas na Europa iniciam no final deste ano, com preços a partir de E 15.900 (algo em torno de R$ 64.000) – por aqui, ainda não tem data definida. Comparado à versão de três portas, esse Mini tem dimensões maiores e mede 4,05 m de comprimento e tem 2,56 m de distância entre-eixos. Por dentro, a altura da cabine foi aumentada em 1,5 cm. Já o porta-malas tem 278 litros. Os motores podem ser de três cilindros 1.5 a gasolina de 136 cv de potência, 1.5 turbodiesel de 116 cv e 2.0 turbo a gasolina de 192 cv.

Fiat 500X
Contrariando as expectativas, o Fiat 500X não será produzido na nova fábrica da Fiat em Goiana, Pernambuco, tampouco importado para o Brasil. As vendas na Europa começam no início de 2015. O 500X divide a plataforma com o Jeep Renegade e mede 4,25 m de comprimento. Por lá, o 500X será oferecido com motor 1.4 turbo MultiAir (140 cv) e 1.6 MultiJet II a diesel (120 cv). Haverá uma opção topo de linha equipada com bloco 2.0 MultiJet a diesel de 140 cv, câmbio automático de nove marchas e tração integral.

Peugeot 208 Hybrid Air 2L
O estudo da Peugeot atende um projeto para incentivar o surgimento de carros que consumam 1 litro de combustível a cada 50 quilômetros. O nome 2L refere-se ao consumo por 100 quilômetros. A base desse conceito é a versão 208 Puretech, equipada com motor tricilíndrico a gasolina 1.2 de 82 cv de potência. Outra forma de propulsão é o ar comprimido. Um módulo eletrônico seleciona qual modo de condução deverá ser utilizado, dependendo da situação. Para ser mais eficiente, o Peugeot ainda têm suspensão rebaixada e pneus de baixíssima resistência ao rolamento, entre outras inovações.

Peugeot QuartzEste conceito adianta o futuro dos SUVs da Peugeot. As linhas do Quartz são exageradas e ele mede 4,50 m de comprimento e pouco mais de 2 m de largura. As portas têm abertura vertical no estilo “tesoura” e as grandes rodas são de aro 23. O Quartz é um híbrido com motor a gasolina 1.6 de 270 cv de potência auxiliado por dois propulsores elétricos, que juntos adicionam 130 cv. A transmissão é automática de seis marchas. Utilizando somente energia, o Quartz tem alcance de até 50 quilômetros.

Peugeot 308 GT
Por enquanto, os brasileiros ainda não terão acesso à nova geração do Peugeot 308, já comercializada nos mercados estrangeiros. Segundo o fabricante, o modelo vendido no Brasil segue sem alterações. Em Paris, o 308 debutou a versão GT. São duas opções de motores: 1.6 turbo de 204 cv de potência e câmbio manual de seis marchas ou 2.0 a diesel de 180 cv e transmissão automática, também de seis. O visual invocado foi obtido com apêndices aerodinâmicos, rodas de aro 18 e o emblema do leão passou do capô para a grade frontal.

Citroën C4 Cactus Airflow 2L
O conceito da Citroën tem motor tricilíndrico auxiliado por outro movido a ar comprimido. São três modos de condução: utilizando somente o ar comprimido, a gasolina ou com os dois propulsores. Segundo a Citroën, esse carro tem um consumo de 2 litros/100 km. O carro tem peso enxuto de 865 quilos, obtido com o uso de matérias à base de carbono. Entre as inovações, a aerodinâmica é 20% melhor que a do C4 Cactus de produção, com o uso de câmeras no lugar dos retrovisores, para-choques com tomadas de ar, que se abrem e fecham para melhorar a aerodinâmica ou ajudar no resfriamento, pneus estreitos com baixa resistência ao rolamento e rodas com aberturas, que beneficiam a força centrífuga.   

Citroën DS Divine ConceptA linha DS ganhou vida própria e passou a ser uma marca dentro da Citroën. O plano é de expandir a gama de veículos (DS3, DS4 e DS5) para seis carros nos próximos anos. A marca DS virá para o Brasil. Contudo, está descartada a intenção de fabricar os carros no País. O conceito DS Divine é uma visão mundial e antecipa o futuro dos próximos veículos. O desenho futurista do conceito impressiona e ainda traz as portas traseiras com abertura invertida, além de uma cabine muito luxuosa e requintada.

Citroën C1 Urban Ride Concept
O Citroën C1 Urban Ride Concept foi criado a partir da versão de quatro portas do pequeno C1 – mostrado no último Salão de Genebra, em março deste ano. A personalidade aventureira desse conceito foi obtida com para-choques dotados de desenho robusto, os tradicionais apliques de plástico na carroceria e as suspensões elevadas em 1,5 cm. As rodas têm desenho exclusivo. Além disso, o charme à parte também fica pelo teto de lona emprestado da versão Airscape.

Mercedes-Benz C 63 AMG
A nova geração do Mercedes-Benz C 63 AMG está ainda mais endiabrada. As versões sedã e perua ganharam um motor V8 4.0 biturbo (o mesmo do Mercedes-AMG GT) de 475 cv de potência ou 510 cv (na versão S). O câmbio é o SpeedShift MCT de sete marchas. Os modos de condução mudam os parâmetros do carro: Sport, Sport +, Manual, Individual e Race (exclusivo do C 63 S). A tração integral está disponível em todas as versões. O C 63 S acelera de 0-100 km/h em 4,0 segundos e o C 63 em 4,1 segundos. Já a variante perua vai de 0-100 km/h em 4,1 e 4,2 segundos, respectivamente. O C 63 AMG virá para o Brasil no final do segundo semestre de 2015.

Mercedes-Benz Classe B
O Mercedes-Benz Classe B ganhou um facelift com pontuais mudanças no visual. As novidades aparecem nos novos para-choques, grade do radiador mais larga e nos faróis com luzes diurnas integradas. Na traseira, destaque para as lanternas de LED. Por dentro, entre as mudanças, a cabine ganha display de oito polegadas e quadro de instrumentos com novos mostradores. Além disso, são 12 opções de iluminação interna. Em segurança, o Classe B ganhou sistema de frenagem parcial e o Attention Assist passa a operar em velocidades de 60 a 200 km/h. O carro virá para o Brasil no segundo semestre de 2015.

Smart Fortwo
O novo smart compartilha a plataforma com o Renault Twingo – este, ainda sem planos de estrear no Brasil. A terceira geração do pequenino Smart Fortwo preservou o comprimento de 2,69 m e 1,87 m de entre-eixos. Já o comprimento do Forfour de segunda geração é de 3,49 m e 2,49 m de entre-eixos. Ambos os modelos usam motor tricilíndrico 1.0 posicionado na traseira com 71 cv de potência ou uma opção com turbo de 90 cv. A nova geração do Smart Fortwo desembarca no Brasil em 2016 e ainda existem chances de o Forfour também vir para o nosso mercado.

Renault Espace
O Renault Espace completou 30 anos e é considerado o primeiro monovolume do mundo. Nessa nova geração, o carro adotou uma personalidade de crossover. Segundo o fabricante, comparado ao modelo antecessor ele é 250 quilos mais leve e 20% mais econômico. O Espace mede 4,85 m de comprimento, 2,88 m de entre-eixos e 1,68 m de altura. Lá na Europa, será oferecido em versões de cinco ou sete lugares. Sob o capô, motores 1.6 turbodiesel de 130 ou 160 cv de potência, além de 1.6 a gasolina de 200 cv.

Ford Fiesta ST
O Ford Fiesta ST está descartado para o Brasil. Uma pena, pois o modelo usa motor 1.6 turbo e câmbio manual de seis marchas. Um legítimo foguete de bolso com seus 200 cv de potência. Além disso, o hot hatch ainda traz rodas de aro 17 e visual mais invocado. Em segurança, são sete airbags e freios com ABS e EBD. Seu irmão maior, o Focus ST, também não será importado para cá. Entretanto, ainda falando do Focus, é previsto que em um futuro próximo o Brasil tenha o mesmo modelo já vendido nos mercados estrangeiros.

Ford C-Max
A minivan compartilha a plataforma com o Focus, mas não será comercializada em nosso mercado. O C-Max debutou um novo visual com importantes mudanças estéticas, principalmente na dianteira: grade, faróis com iluminação diurna e para-choque redesenhados. Na traseira, aparecem lanternas menores e o para-choque também recebeu um novo desenho. O interior traz o sistema Sync atualizado, além de melhorias no revestimento e no acabamento. Lá na Europa, o C-Max tem uma ampla gama de motores. Destaque para o 1.5 TDCi de 120 cv de potência, o 1.0 EcoBoost de 100 cv ou de 125 cv.

Alfa Romeo Giulietta Sprint
Este Alfa Romeo homenageia o modelo homônimo de 1954. De diferente, ele tem o para-choque traseiro com difusor de ar e a dupla saída de escapamento, rodas de aro 17 (aro 18 como opcionais), grade dianteira com pintura brilhante e emblemas alusivos à versão. A cabine traz detalhes em fibra de carbono e logotipo Sprint bordado nos encostos dos bancos, entre outros. A Alfa disponibiliza quatro opções de motores, mas a novidade é o novo bloco 1.4 de 150 cv de potência, capaz de levar o carro de 0-100 km/h em 8,2 segundos e à velocidade máxima de 210 km/h. 

VW XL Sport
Se o Volkswagen XL1 é um híbrido preocupado com a eficiência energética, o interessante XL Sport tem foco no desempenho. Esse conceito usa motor bicilíndrico de 1199 cm³ originário da motocicleta Ducati 1199 Superleggera com 200 cv de potência. A transmissão é de dupla embreagem e sete marchas. A carroceria feita de plástico e de fibra de carbono cooperou no baixo peso de 890 quilos. O XL Sport vai de 0-100 km/h em 5,7 segundos e chega aos 270 km/h de velocidade máxima. Domar essa fera é tarefa dos discos de freios de carbono e cerâmica.

Honda Civic Type R Concept II
O conceito é uma evolução do Honda Civic Type R Concept, apresentado no Salão de Genebra deste ano. O Civic Type R Concept II ganhou algumas novidades, como a carroceria pintada de azul com faixas e as rodas no tom preto. O motor 2.0 turbo recebeu aprimoramentos para ter 280 cv de potência. Além disso, as suspensões e os controles de estabilidade e de tração foram retrabalhados. Para entregar o máximo de desempenho e deixar tudo mais divertido, a tecla “R” deixa o volante mais direto, eleva a rotação do motor e diminui o tempo das mudanças de marchas do câmbio manual de seis marchas.

Volkswagen Golf Alltrack
A versão aventureira da perua Golf tem a suspensão erguida em 2,0 cm em relação ao solo e a carroceria ganhou os tradicionais apliques de plástico, que conferem a robustez do fora de estrada. Os motores escolhidos são o 1.8 TSI a gasolina com 182 cv de potência e outras opções a diesel, como o 1.6 TDI de 110 cv, o 2.0 de 150 cv e o 2.0 TDI de 186 cv. Para o mercado europeu, o início das vendas está agendado para o início do segundo semestre do próximo ano.

Bentley Mulsanne Sport
O Mulsanne Sport é o carro mais caro já produzido pela Bentley. Ele é para poucos afortunados e custa a bagatela de E 324.000 (cerca de R$ 1 milhão). O valor elevado tem uma explicação: é um Bentley! Sob o capô, o motor V8 6.7 oferece 537 cv de potência e assombrosos 112,1 kgfm de torque disponíveis a partir de baixíssimas 1.750 rpm. O Mulsanne Sport é capaz de fazer de 0-100 km/h em 4,9 segundos e atingir os 305 km/h de velocidade máxima.