Salão do automóvel 2010


Com base no Agile LT, esta versão Crossport ganhou visual off-road O SUV Scorpio, da indiana Mahindra, que participou do Rali dos Sertões

Customizado pelo Batistinha, o Celta White ganhou visual mais agressivo com rodas grafite e faróis máscara negra

A última MOTOR SHOW foi especial. Para comemorar nossos 16 anos e os 50 anos do Salão do Automóvel, preparamos uma reportagem com mais de 50 páginas nas quais mostramos os principais destaques do evento, divididos por marcas. Mas, como toda grande festa, o Salão deste ano também reservou algumas surpresas aos visitantes, grande parte repassada a nossos leitores, em tempo real, através do Twitter da revista (motorshow_ed3). Muitos modelos inesperados apareceram. Alguns, já confirmados, não estavam lá nos primeiros dias, de imprensa. No estande da chinesa Lifan, por exemplo, as recepcionistas, com um sorriso sem graça, tentavam explicar porque estavam paradas, em pé, naquele espaço vazio. Atrasos no processo de importação deixaram outros estandes desfalcados. Mas, quando o público começou a chegar, no dia 27 de outubro, tudo já estava perfeitamente em ordem. Os carros nos seus postos, brilhando, não davam pista do “sufoco” que passaram para chegar até ali. Nos corredores, enquanto os visitantes tentavam aproveitar ao máximo os R$ 40 pagos pelo ingresso, jornalistas, assessores, executivos, engenheiros, designers e marqueteiros continuavam seus bate-papos nos corredores e nas áreas restritas dos estandes. Novas notícias surgiram. Algumas oficiais, outras nem tanto. Enquanto isso, cada marca tentava atrair a atenção das famílias, com espaços para crianças, jogos interativos e até manicure para a mulherada entediada com a peregrinação.

No estande da Mitsubishi, não faltaram carros de competição, como o TR4 ER

Na Suzuki, sem muitas novidades, o Jimny equipado fez sucesso entre os consumidores

O SLS AMG GT3 já fez sua estreia nas pistas de corrida. No Anhembi, encantou os visitantes com a pintura cromada

Mudanças na suspensão e no visual transformaram o Fiat Siena Sporting

A maior edição da história do Salão do Automóvel mostrou que a indústria brasileira está não somente crescendo (já somos o quarto mercado do mundo), mas também se democratizando. Este ano, o centro do Pavilhão, que concentra as marcas tradicionais como Ford, Volks, Fiat e GM, perdeu visitantes para a periferia. A “ala nobre” do Anhembi, apesar de bastante movimentada, parecia mais “arejada” (sensação reforçada pelo espaço maior dos estandes) do que os corredores laterais, onde o público se espremia para ver de perto os esportivos da importadora Platinuss e as novidades das nove marcas chinesas presentes na mostra. Sim, a China era o país mais bem representado no Anhembi. “Parece que até a Ferrari está meio ofuscada”, comentou uma jornalista com anos de carreira na cobertura do evento. De fato, as atenções se dividiram. Mas, com um público de mais de 750 mil pessoas, nenhuma das 42 montadoras presentes pôde se queixar de falta de prestígio.

O SUV Scorpio, da indiana Mahindra, que participou do Rali dos Sertões

O Mahindra Xylo tem muito espaço interno, sete lugares, motor diesel e tração 4×4 (note a saliência na roda)

Réplica em tamanho real dos veículos do filme Carros divertiu crianças e adultos

 

A Saveiro RockeT é um conceito esportivo criado pelo departamento de design brasileiro

Nissan March, que começa a ser vendido em 2011 como o primeiro japonês popular do país. Terá motor 1.0 e 1.6

Panamera V6 (foto) e Cayene Hybrid foram as apostas da Porsche no Salão

No estande da Fiat, por exemplo, ficou difícil avistar o novo Bravo (avaliado nesta edição), tamanho o enxame de curiosos que o cercava. O Uno Cabrio, que não apareceu em nossa edição passada, também chamou a atenção, assim como o pequeno FCC III (projeto Mio), projetado com consumidores via internet. Era lá também que crianças e adultos disputavam espaço para posar ao lado dos modelos do filme Carros, construídos em tamanho natural. Bem ao lado, a vizinha Chevrolet, que ganhou o prêmio Abiauto com o melhor estande da mostra, trouxe – além de belas paredes envidraçadas e de um carro robô (o Bumblebee do filme Transformers) que fazia as honras da casa – uma réplica do Camaro feita de um material ultraleve que, controlado por rádio-controle, voava pelo estande para delírio dos visitantes. Além dos modelos mostrados na edição passada, a marca trouxe uma versão-conceito do Agile, o Crossport.

O FCC III, resultado do projeto Fiat Mio, foi criado com palpites dados por internautas em um site

Do grupo francês PSA, que reúne Peugeot e Citroën, a primeira brilhou mais. Apresentou o 408 (um sedã para países emergentes que substituirá o 307 Sedan e o 407), o 3008 (nesta edição) e o RCZ. O 308 não apareceu, mas, segundo fontes, chega em 12 ou 18 meses, no máximo, para aposentar o já velhinho 307, que, sem mudanças contundentes desde 2002, tem vendas apoiadas apenas no preço baixo. Já a Citroën, que em 2008 mostrou o C4 Picasso, C4 hatch e C5, este ano apostou só no recémlançado Aircross e nos conceitos C4 Yin e Yang, C3 Noir e Pallas.com. Na também francesa Renault, todas as atenções estavam voltadas ao Fluence (nesta edição), substituto do sedã médio Mégane.

Como em anos anteriores, a Volkswagen reservou um espaço para a marca espanhola do grupo, a Seat. Sem perspectivas de vendas no Brasil, a marca estava lá, segundo se comentou nos corredores, para que a Volks ganhasse um tempinho a mais na coletiva de imprensa (cada marca tem direito a 20 minutos). De fato, durante a apresentação aos jornalistas, o tempo reservado à Seat foi incorporado pela VW, que nem sequer citou a marca. No estande, apenas um exemplar do belíssimo e moderno Ibiza Cupra fazia companhia à entediada modelo com vestido de gala. Em seu espaço principal, a Volks mostrou as esperadas novas gerações de Passat e Jetta (engraçado foi ouvir as recepcionistas tentando explicar por que a station continuava com a cara velha), o Touareg reestilizado, o Passat CC R-Line e uma bicicleta elétrica. Nacionais, apenas a Saveiro RockeT, um projeto de “cupê dois lugares”. A picape ficou bonita, cheia de acessórios externos, com tampa rígida na caçamba, bancos-concha e motor 1.4 TSI de 122 cv. Outra que apostou nos importados (e conceitos) foi a Ford. As novidades da marca estavam todas em nossa reportagem especial no mês passado. A grande atração foi o Shelby GT 500, que teve seu sucesso amplificado pela linda modelo que passou os dias ao seu lado. Sem dúvida, uma das mais bonitas do evento. Inusitado foi ver, na caçamba da Ranger, um lançamento da Yamaha, a nova Ténéré 250 cm3 com visual diferenciado.

Das marcas japonesas, a Nissan – tímida em 2008 – foi a que despertou mais curiosidade por conta do compacto March, que será vendido no Brasil. O modelo terá motor 1.0 e 1.6 que, segundo o chairman da Nissan Américas, Carlos Tavares, não será o mesmo utilizado pelo Livina (de origem Renault). “O carro terá um novo motor 1.6 de tecnologia Nissan”, afirmou à MOTOR SHOW. A Toyota mostrou conceitos ecológicos, um Corolla prateado (que não parecia cromado, mas encapado de prata) e o RAV4 4×2 (nesta edição). A Honda também apostou em conceitos e modelos com baixa emissão, como adiantamos no mês passado, com o Insight (que, segundos executivos ouvidos no Salão, está apenas aguardando uma política de incentivos do governo para desembarcar no País), o CR-Z, o FCX Clarity e o EV-N com U3X, uma espécie de banco que se movimenta e é encaixado no interior do carro. Sobre o novo Civic, parece que ele está mesmo confirmado para o segundo semestre do ano que vem e terá pequenas diferenças em relação ao flagrado na Europa. A Mitsubishi veio com o conceito Px-Miev e o crossover ASX, mostrado na edição anterior. A Suzuki veio com sua linha tradicional e a Subaru lançou, como antecipamos, o WRX STI Sedan e o Impreza XV.

 

Motor BMW V10 de 570 cv de potência e design fora do comum marcam o esportivo brasileiro Vorax

Com motor 1.4 turbo de 152 cv, o conversível baseado no novo Uno não deve virar realidade

O Vision EfficienteDynamics é um cupê 2+2 – híbrido plug-in. Faz mais de 27 km/l e atinge 250 km/h. Um esportivo baseado nele será produzido em série

O pequeno elétrico é uma versão conceitual do compacto iQ. Capaz de levar duas pessoas, o modelo tem autonomia de cerca de 80 quilômetros

Entre as coreanas, muitas novidades. A Kia, aliás, foi a marca com mais lançamentos. A Hyundai, igualmente, trouxe modelos como o novo Azera, o Sonata (que aumentou de preço três vezes durante o evento e passou de R$ 95 mil para R$ 115 mil), o Genesis e o Eqqus (os dois últimos só chegam no ano que vem). Já a Ssangyong supreendeu com o belo Korando C, com tecnologia Mercedes no trem de força e design europeu. A venda, já certa para a indiana Mahindra, não deverá modificar a operação da marca no Brasil. Aliás, a Mahindra mostrou a nova minivan de sete lugares, 4×4 diesel, a Xylo (záilo). Segundo o presidente de operações internacionais, Pravin Shah, o negócio principal da montadora são os utilitários, mas eles estão evoluindo porque o consumidor quer carrocerias monobloco e conforto de carro de passeio. “Na Índia, o fato de produzirmos o Logan (em parceria com a Renault) não ajuda a deixar nossos utilitários mais confortáveis e seguros”, disse em entrevista exclusiva à MOTOR SHOW.

As marcas de maior prestígio também fizeram de tudo para chamar a atenção. A BMW apostou em um estande totalmente branco, a Mercedes apelou para o ronco de seu SLS AMG GT3 cromado e para o conceito Shooting Break, que começa a ser fabricado no ano que vem. A Audi trouxe o pequeno A1, a Porsche apostou no Panamera V6 e no Cayenne híbrido e a Aston Martin anunciou um compacto que pode ser “a solução para o trânsito caótico de São Paulo”. Já os chineses, motivo de piada em 2008, roubaram a cena. Mas essa é uma história à parte, que você lê em nossa reportagem especial de capa.

O crossover híbrido plug-in da Mitsubishi, o PX-MIEV, tem interior saudável com filtro de partículas e odores

Discretamente, na caçamba da Ranger Sport, a Yamaha lançou a nova Ténéré. Mas essa não foi a única moto no Salão do Automóvel. A Honda e a BMW também lançaram novos modelos

 

 

O Camaro de material ultraleve voava enquanto o Bumblebee robô dava as boas-vindas

O conceito Shooting Break começará a ser fabricado em série exatamente como foi apresentado no Salão

Entediada, a modelo da Seat se distraía lendo as informações do bocal de abastecimento do belíssimo Ibiza Cupra

Aos poucos, os modelos homens também vêm ganhando espaço no Salão. Já a modelo ao lado do Mustang girava o tempo todo junto com o carro, o maior destaque da Ford para os fãs de superesportivos

 

COMPARTILHAR
Notícia anteriorMercado
Próxima notíciaMotor News