Sangue quente

Turbodiesel 172 cv

41,1 kgfm de torque

R$ 118.285

Depois de esgotadas todas as 200 unidades trazidas para o Brasil com o objetivo de avaliar a aceitação da nova Frontier no mercado nacional, a Nissan oficializou sua comercialização no País. A nova versão que chegou às 65 concessionárias Nissan dia 23 de novembro deste ano, com a já conhecida frente da Pathfinder, e não substituirá sua antiga geração. Apenas as versões Attack e Strike serão extintas.

A nova Frontier herdou muitas características de outros modelos da marca. O chassi é o mesmo da Titan americana, assim como o motor 2.5 16V turbodiesel common rail, que também equipa uma das versões da Pathfinder. É aí que está sua maior virtude. Apesar de ter a menor cilindrada entre as rivais (Hilux e L200 Triton), apresenta a melhor potência específica. São 172 cv e 41,1 kgfm de torque. Estes incríveis números são frutos da tecnologia da segunda geração de injeção direta, que trabalha com a incrível pressão de 1.800 bar na linha de alimentação.

A princípio, estarão disponíveis no Brasil apenas as versões SEL 4×4 cabine dupla movidas a diesel, com opção de câmbio manual ou automático. São seis marchas na versão manual e cinco na automática, o que confere ao motorista uma dirigibilidade mais macia, sem falar na disposição das últimas marchas na estrada, mantendo o motor em rotações baixas, garantindo mais conforto, menos ruído e menor consumo. Tanto na opção automática quanto na manual a tração 4×4 e a reduzida são acionadas através de um botão no console central do painel. A função 4×4 pode ser ativada a até 100 km/h. Já a reduzida, utilizada em ladeiras com baixa aderência, necessita que o veículo esteja parado para que seja engatada.

Seu visual foi inspirado no conceito truck-like para dar ao carro uma aparência de solidez e robustez. Suas linhas frontais, derivadas da Pathfinder, conversam bem com as novas formas traseiras. Prova disso é o desenho, tanto dianteiro quanto traseiro, que possui um discreto, (porém imponente e elegante) traço em forma de V, marca registrada da Nissan.

A nova traseira se harmonizou bem com a frente da Nissan Pathfinder

Internamente, o ambiente da nova Frontier é mais elegante e funcional do que o da antiga, com muitos porta-objetos e design bem requintado, mas sem perder o espírito aventureiro. No quesito segurança e conforto, a nova picape também não faz feio. Airbag duplo e freios ABS com sistema EBD, que distribui e equilibra o peso da frenagem entre as rodas, estão entre os itens de série, assim como os bancos revestidos de couro e o piloto automático.

O modelo, já comercializado em mais de 150 países, será importado da Tailândia, apesar de ser produzido também na Espanha e nos Estados Unidos. A picape é a mesma no mundo todo, mudando apenas alguns equipamentos para atender às legislações locais, além de receber ajustes para se adequar à composição dos combustíveis de cada país.

O interior está de cara nova. Com muito conforto e funcionalidade, ganhou mais requinte. O display no conta-giros mostra a tração engatada no momento, mas na versão automática faltou a indicação da marcha utilizada

De acordo com Arison Souza, diretor de marketing da marca, as vendas de picapes médias não têm acompanhado o mesmo crescimento da indústria. A tímida marca de 9% é pouco para um mercado que cresceu 28% este ano. Portanto, haveria muito para se explorar. “As vendas de picapes médias só não aumentam mais porque o consumidor carece de novidades. Com este lançamento, esperamos suprir um pouco desta necessidade”, diz Souza.

Com preço de R$ 112.285 para a versão manual e R$ 118.285 para a automática, a Nissan estima vender 400 unidades por mês no primeiro ano. A expectativa maior é na opção automática, já que ela representa 75% das vendas de Frontier. O modelo terá garantia de três anos e os consumidores que o comprarem nos primeiros três meses de venda terão a opção de fechar um pacote com a seguradora Mapfre, cujo valor da apólice será fixo, sem perfil definido, variando apenas de acordo com a região de uso. O mais em conta é de R$ 2.964,10 e o mais caro de R$ 5.800. A cotação para São Paulo é de R$ 3.800 e o contrato tem vigência de um ano.

Mesmo com tantos atributos, a nova Nissan não terá uma missão fácil, afinal Hilux e L200 são oponentes de respeito, e com o recente lançamento da L200 Triton a disputa fica ainda mais acirrada.

O câmbio automático de cinco marchas é uma das novidades da picape. O santantônio e outros acessórios já estão à venda

O moderno motor diesel 2.5 tem mais potência e torque que o 3.2 da L200 Triton