A nova VW Golf Variant está prestes a estrear. Ela terá distância entre-eixos maior, motores híbridos e traseira arredondada. É assim que nossa fonte descreve a próxima versão da perua, que chega até o final do ano para completar a oitava geração do hatch mais famoso da Volkswagen no mundo.

Apesar da moda dos SUVs, na Europa a perua segue firme e forte – enquanto no Brasil dificilmente a teremos, uma vez que seu lugar, na fábrica e no mercado, foi tomado pelo (inferior) T-Cross. Pena. Ah, ela vai ganhar a companhia de uma nova perua “topo de gama”: a Arteon station, na verdade uma shooting brake.

CINCO CENTÍMETROS A MAIS

Os europeus, sortudos, verão uma VW Golf Variant com muitos novos recursos. De acordo com aqueles que já a viram, o carro é elegante e esportivo ao mesmo tempo, com um lado limpo e esbelto que fecha uma cauda arredondada e bem proporcionada, na base de uma janela traseira bastante inclinada.

A traseira da perua do VW Golf da geração anterior gerava, visualmente, um “impulso propulsivo” para a frente, sugerindo uma força pronta a ser liberada. A essa conotação atlética agora se somam proporções que colocam as rodas razoavelmente perto dos cantos da carroceria. Pela primeira vez, a distância entre eixos é maior, por uns bons cinco centímetros, que a do hatch. São 2,69 m.

Isso significa que, além de ter a capacidade usual na fila para bagagem, também haverá uma dose de espaço adicional no compartimento de passageiros, especialmente no banco de trás. Como alternativa ao SUV “habitual”, será um carro muito mais adequado que antes para viagens longas.

TAMBÉM HÍBRIDA PLUG-IN 

Quanto aos motores, além dos diesel 2.0 e 1.5, a nova VW Golf Variant terá as unidades tradicionais de gasolina. Mas com sistemas híbridos leves de 48 volts e potências que de 110 a 150 cv. A transmissão será de dupla embreagem DSG, com sete velocidades.

E haverá também uma VW Golf Variant híbrida “plugável”. Como no hatch, terá duas variantes, ambas baseadas no motor a gasolina 1.4 TSI de quatro cilindros acoplado ao DSG de seis velocidades e alimentado por uma bateria de 13 kWh: uma com 204 cv no total e outra com o nome bem conhecido GTE, de 245 cv.

ARTEON SHOOTING BRAKE

Posando junto com a VW Golf Variant vermelha, um modelo para encarar Mercedes CLS Shooting Brake e Porsche Panamera Sport Turismo. Wolfsburg decidiu apostar nessa fórmula para o emblemática Arteon, que desde 2017 ocupa o lugar do Volkswagen CC, anteriormente Passat CC. Mudanças de nome e aparência que visam manter a presença em um segmento difícil, onde o passaporte alemão não é suficiente. Se seu nome é Audi, BMW, Mercedes ou Porsche, você é admitido no clube. Com a marca Volkswagen, não é óbvio.

A variante perua do Arteon ficará no meio do caminho entre uma perua real e uma shooting brake: com um ombro musculoso, que se desenvolve acima da linha lateral, uma janela traseira fortemente apoiada e uma terceira janela que termina em uma forma trapezoidal mais fina, capaz de afinar ainda mais a silhueta do carro.

QUASE PRONTO

Até o final do ano, a linha Golf VIII estará praticamente completa. Abaixo, nossa projeção da versão R, que terá o motor 2.0 com 320 cv, tração nas quatro rodas e vetorização de torque.

VW Golf Variant

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar