O substituto do VW Up será totalmente elétrico. O hatchback ID.3, alter-ego elétrico do Golf, já foi lançado na europa (mas está com sua produção interrompida por causa da pandemia do coronavírus). Mas a gama de modelos ID será bem variada e incluirá sedans, crossovers e SUVs de diferentes tamanhos. E terá também de uma reedição da Kombi e um compacto que deve se chamar ID.1. É justamente este o modelo que substituirá o VW Up e que revelamos aqui.

Ainda não existem há imagens oficiais ou detalhes do substituto do VW Up. Mas já conseguimos algumas pistas do último e chegamos a estas ilustrações. O ID.1 será um ultracompacto de quatro portas, talvez um pouco maior que o do modelo que substituirá – o Up tem 3,6 m de comprimento.

Esse elétrico, substituto do VW Up, terá linhas semelhantes às do irmão maior ID.3. A versão de produção deve chegar em 2023. Terá superfícies de vidro generosas e um elemento estético dominante, como a faixa traseira de LED. Ela une os grupos ópticos, “cortando” a porta traseira. 

Os balanços do substituto do VW Up serão mínimos, de modo que o capô dianteiro será mínimo, com a grade quase na mesma linha de inclinação do pára-brisa. Meio que uma minivan. Esse formato conceito tornará o ID.1 o carro urbano ideal, garantindo máxima habitabilidade em relação às dimensões (o que é esperado de um carro elétrico compacto).

UMA BASE PARA TODOS

O modelo continuará tendo variantes das marcas Seat (Espanha) e Skoda (República Tcheca). Ele seria inicialmente fabricado em uma plataforma desenvolvida pela empresa espanhola para todo o grupo: uma espécie de MEB “A0” (com o mesmo tipode diferença que há entre MQB do Golf e a MQB A0, do Polo).

O projeto era confiado a Luca De Meo, chefe da Seat, que foi para a Renault. Agora,  foi devolvido à sede em Wolfsburg. A decisão sugere mudanças na escolha das baterias (que teria materiais mais baratos que o lítio) e outros componentes. De qualquer forma, qualquer que seja a rota técnica adotada, a contenção de custos será prioridade.

Para ser um bom substituto do VW Up, o ID.1 deverá ter um preço muito estratégico.
Será caro, por ser elétrico, mas um elétrico “de entrada”, custando menos de 20.000 euros (R$ 120.000; hoje o e-up! custa lá 23.350 euros). 

Tecnicamente, deve ter um único motor, no eixo traseiro, que será alimentado por uma bateria, talvez oferecida em dois “pedaços”. A versões de entrada terão cerca de 24 kWh, e as demais, 36. Assim, atenderão , respectivamente, a necessidades urbanas e àqueles que precisam pegar estrada (talvez a autonomia chegue a 300 km). Poderia ser uma maneira de atrair consumidores além dos millennials.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool
+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas
+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial
+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasileiro
+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar