Segredos: Tudo sobre o novo VW Golf e mais cinco modelos

Apesar de todo o crescimento do mercado mundial de SUVs, alguns hatches ainda resistem no mercado, para aqueles motoristas que priorizam o prazer de dirigir. Já os superesportivos nunca saem de moda – esse ano teremos a volta do M8 e o primeiro modelo 100% elétrico da Porsche

VOLKSWAGEN GOLF

Carros duas-portas estão fora de moda e, a exemplo do que a Volks já fez no Brasil, vai aposentar a versão quatro portas do Golf também na Europa. O mais famoso Volkswagen continuará a usar a plataforma modular MQB com motor transversal, mas terá uma versão híbrida plug-in e seus motores a gasolina 3 e 4 cilindros turbo serão auxiliados por sistemas híbridos “leves” de 48 V. No interior, mais digitalização, com duas telas generosas – uma para os instrumentos, outra para o infotainment – e menos teclas e botões. Ganhará também sistemas semiautônomos. Chega no final do ano à Europa, mas pode não ser fabricado no Brasil, e sim trazido mais uma vez do México, para dar lugar na linha ao novo T-Cross: enquanto o segmento de SUVs cresce, o de hatches médios some. O Golf é um dos modelos mais emblemáticos da marca e, por enquanto, resiste.

AUDI A1 CROSSOVER

A segunda geração do Audi A1 terá uma variante “aventureira”, com grade exclusiva, suspensões levemente elevadas e caixas de roda com apliques plásticos – à moda dos Fiat Adventure. Mas ele não se chamará Allroad, pois na nomenclatura clássica da marca a denominação não pode ser separada da tração integral, e nessa versão A0 da plataforma MQB – a mesma do Polo – não há espaço para isso. O motor será o mesmo 3 cilindros 1.0 TFSI que equipa nossos Polo e T-Cross. Chega no fim do ano à Europa, e deve ser vendido no Brasil, pois ficará mais atraente agora que o A3 vai crescer.

PEUGEOT 208

(NOTA DA REDAÇÃO: Depois da publicação original desta reportagem, a Peugeot revelou a nova geração do 208) A revolução começa no 208. A segunda geração do compacto da Peugeot estreia uma longa lista de novos recursos: da plataforma modular CMP a uma versão totalmente elétrica. A base do francês será compartilhada com numerosos carros do grupo, começando pelo DS 3 Crossback e pelo Opel Corsa. Mudanças significativas no design, que ficará mais similar ao de outros novos modelos graças a soluções como os “arranhões” verticais nas lanternas (que terão forma retangular). O espaço a bordo aumentará, graças à distância entre-eixos crescida, e o interior seguirá o estilo do 3008, com tela digital dupla (mantém também o volante pequenino). Estão nos planos sistemas semiautônomos e versões GTI e elétrica (planejada para 2020, 350 km de autonomia). Começa a ser vendido no segundo semestre na Europa. Será feito no Brasil, provavelmente, em 2020.

TOYOTA YARIS

Depois de renovar a parte principal de sua gama – Corolla e RAV4 – a Toyota finaliza seu menor modelo na Europa, o Yaris. Agora em sua quarta geração, o compacto – que já é totalmente diferente do vendido no Brasil – deve seguir o estilo atual, com linhas bastante dinâmicas. O híbrido está garantido, e com duas opções de potência. Chega à Europa no fim do ano, mas serve apenas como referência sobre as influências que “nosso” Yaris deve sofrer em seu design (mas só lá para 2021/2022).

 

ESPORTIVOS

PORSCHE TAYCAN

O primeiro Porsche elétrico será o Taycan. Promete desempenho e prazer de dirigir de 911 com recarrega de 80% da bateria em 15 minutos. Será mostrado no Salão de Frankfurt, e depois chega também com a carroceria Sport Turismo. Ambas serão feitas na plataforma J1, com mecânica de 800 volts: são dois propulsores permanentes síncronos, um por eixo. Com as baterias sob o piso, o centro de gravidade é mais baixo – até mesmo que o do 911. Terá dois porta-malas, um dianteiro e um traseiro. No interior, uma ode ao minimalismo, com monitores digitais que eliminam a maioria das teclas. E o Taycan terá som próprio, gravado do motor elétrico e modulado nas freqüências para realçar seu caráter: será reproduzido por alto-falantes escondidos na carroceria. Serão mais de 600 cv e 0-100 km/h em 3s5.

BMW M8

Dessa vez é sério: depois de mais de trinta anos de espera, o BMW M8 está pronto para estrear. E se o Série 8 E31 original (1989 a 1999) era quase um protótipo que entrou em produção, a nova versão Motorsport do cupê da BMW seguirá as linhas da geração atual. “Será mais radical que o 850i, para competir com o Porsche 911”, garantem seus designers. O M8 coupé terá o V8 de 4,4 litros TwinPower Turbo com 600 cv do M5. Será combinado a uma transmissão automática de oito marchas e à tração integral M xDrive, que pode desacoplar eletronicamente o eixo dianteiro, fazendo dele um “tração traseira puro” a qualquer momento. Os discos de freio frontais serão ventilados de 395 mm com pinças de seis pistões, enquanto discos carbocerâmicos de 400 mm na dianteira e 380 na traseira serão opcionais. Alguns meses depois, os M8 Cabriolet e Gran Coupé também chegam. Vendas na Europa já no segundo semestre.