Sem comparação

“Dirigindo o Lifan você vira o centro das atenções. Olha só, todo mundo fica de olho nele. Devem achar que é realmente um Mini”

Luiz Fernando Novaes

Este é um encontro diferente. De um lado, o Mini Cooper, de outro, o Lifan 320. Carros semelhantes no desenho da carroceria, mas completamente diferentes na essência e no preço. Enquanto o “chinesinho”, que copia as linhas da releitura do clássico inglês, tem preço único de R$ 30.400 na versão completa, o modelo legítimo custa iniciais R$ 79.362. A ideia dessa reportagem, portanto, não era promover um embate entre os modelos – absolutamente incomparáveis –, mas propor uma brincadeira inusitada: convidamos o paulistano e estudante de direito Luiz Fernando Novaes, de 22 anos, dono de um Mini Cooper, para experimentar o Lifan 320 e apontar as diferenças e semelhanças entre os dois modelos

Luiz Fernando desfila a bordo do seu Mini somente nos fins de semana. “É um carro que não dá para usar no dia a dia. A suspensão é muito firme e acaba judiando tanto do carro quanto das minhas costas”, brinca.

Logo que saiu com o modelo chinês, o estudante fez o primeiro comentário positivo. “Dirigindo o Lifan você vira o centro das atenções. Olha só, todo mundo fica de olho nele. Devem achar que é realmente um Mini”, observa surpreso. Em meio ao trânsito, chegamos a ouvir de alguns motoristas: “Você está gostando do carro? Estou interessado em comprar um.” O interior do Mini Cooper, apesar de mais apertado que o do Lifan, é um dos pontos altos do carro. Os mostradores analógicos, o estilo retrô e os detalhes prateados garantem charme e refinamento

O Mini tem um estilo único. Além disso, é prazeroso como poucos para quem gosta de dirigir. Mas com o que ele custa, daria para comprar 2,5 unidades do Lifan

O interior do Mini Cooper, apesar de mais apertado que o do Lifan, é um dos pontos altos do carro. Os mostradores analógicos, o estilo retrô e os detalhes prateados garantem charme e refinamento

Hora de cair na estrada. Pegamos a rodovia Raposo Tavares com destino à cidade de Ibiúna, no interior de São Paulo, local escolhido para as fotos. “Apesar da regulagem limitada de distância, gostei muito do banco. Tenho 1,80 m de altura e consigo me acomodar bem. Claro, não abraça tanto como o do Mini. Mesmo assim, é bastante confortável”, elogia. Para embalar a viagem, nada melhor do que som na caixa. E, novamente, o Lifan não decepcionou o nosso entrevistado. “O rádio é até bacana. Apesar dos comandos e do visor serem bem simples. Tem entradas USB, auxiliar e boa qualidade sonora”, elogia.

Mini Cooper

MOTOR quatro cilindros em linha, 1,6 litro, 16V TRANSMISSÃO automática sequencial, seis marchas, tração dianteira DIMENSÕES comp.: 3,72 m – larg.: 1,68 m – alt.: 1,40 m ENTRE-EIXOS 2,467 m PORTA-MALAS 160 litros PNEUS 195/55 R16 PESO 1.140 kg • GASOLINA POTÊNCIA 120 cv a 6.000 rpm TORQUE 16,3 kgfm a 4.000 rpm VELOCIDADE MÁXIMA 203 km/h 0 – 100 km/h 9,1 segundos CONSUMO cidade: 13,2 km/l – estrada: 20,8 km/l CONSUMO REAL cidade: 10,1 km/l – estrada: 14,7 km/l

Acostumado com o requinte do Mini Cooper, Luiz não se queixou da posição de dirigir do chinesinho, e o espaço interno o surpreendeu. “Não tem comparação com o Mini. Nesse carro viajam quatro pessoas com bom nível de conforto, e o porta-malas é ótimo. No Mini, quem viaja atrás sofre bastante, além de ele não ter espaço para quase nada no compartimento de bagagens”, diz.

Se até agora os comentários foram positivos, na estrada, quando o desempenho virou o centro das atenções, a conversa mudou. O motor de 1.3 16V de 88 cv não empolgou. “Faz muito barulho e tudo vibra, parece que o carro vai desmontar! Demora a responder e o desempenho é razoável”, comentou Luiz Fernando, acostumado a um motor aspirado de 1,6 litro e 120 cv. “Adoro o desempenho do Mini. É uma brincadeira de gente grande”, comemora claramente satisfeito.

O acabamento surpreende. Os materiais são simples, mas os encaixes são benfeitos e sem rebarbas. Luiz Fernando elogiou a facilidade para estacionar e a visibilidade

O câmbio do Lifan não incomodou o proprietário do Mini Cooper automático, mas o nível de ruído do motor desagradou. Espaço interno e conforto apareceram entre os destaques, quando comparado ao Mini Cooper

O câmbio manual de cinco marchas foi também elogiado pelo estudante de direito. No entanto, a estabilidade… “A suspensão é muito macia. Nas curvas, dá a impressão que o carro vai ser projetado no muro. Além disso, o volante é muito mole. Parece até que tem uma folga”, criticou.

Chegou a hora de se despedir do chinês. Quando perguntado se deixaria o Mini na garagem para andar todos os dias de Lifan, a resposta foi enfática. “Eu não compraria um para o meu uso diário. Mas compensa financeiramente para quem procura um carro diferente”, finaliza.

Lifan 320

MOTOR quatro cilindros em linha, 1,3 litro, 16V TRANSMISSÃO manual, cinco marchas, tração dianteira DIMENSÕES comp.: 3,74 m – larg.: 1,62 m – alt.: 1,43 m ENTRE-EIXOS 2,340 m PORTA-MALAS 160 litros PNEUS 165/70 R14 PESO 950 kg • GASOLINA POTÊNCIA 88 cv a 6.000 rpm TORQUE 11,2 kgfm a 5.000 rpm VELOCIDADE MÁXIMA 155 km/h 0 – 100 km/h não disponível CONSUMO cidade: 13 km/l – estrada: 16 km/l CONSUMO REAL cidade: 10,1 km/l – estrada: 11,3 km/l