Seu carro novo de novo

 

Com quase dez anos, o Clio 2003 tinha pintura danificada pela exposição ao tempo, alguns amassados, interior sujo e plásticos esbranquiçados

Ter um carro bem cuidado é a chave para evitar a desvalorização excessiva na hora da revenda. Nessa hora, qualquer risquinho na lataria pode ser a desculpa para uma maior depreciação. A boa notícia é que o setor de serviços automotivos está se desenvolvendo rápido. As empresas de embelezamento automotivo oferecem um cardápio farto de tratamentos estéticos que melhoram, e muito, a aparência do seu automóvel. Hoje, o serviço de embelezamento é capaz de recuperar quase todos os itens de um veículo”, garante Roberto Paccione Martins, proprietário da Oficina Studio Car Moema, na zona sul de São Paulo.

Para tentar realizar a mágica de deixar um carro com dez anos de uso parecendo novo, convocamos a designer gráfico Christiane Pinho e seu Renault Clio 1.6, ano 2003. Ao longo desses quase dez anos de uso, seu carro foi muito exposto ao sol durante o dia e ao sereno da madrugada, danificando a pintura. Depois da verificação, contabilizamos riscos, amassados, trinco no para-brisa, amarelamento das lentes dos faróis, lanterna quebrada, desbotamento de cor dos plásticos pretos, rodas riscadas e interior sujo.

Como os problemas de funilaria e pintura não eram tão grandes, resolvemos experimentar os serviços da Chips Away. Parte de um grupo com mais de 30 anos e aproximadamente três mil unidades franqueadas na Europa, a empresa acaba de se instalar no Brasil com a promessa de realizar serviços com mais agilidade. Localizada no estacionamento de um shopping, em São Paulo, ela se propõe a fazer pequenos reparos, enquanto o cliente vai às compras. “O processo é parecido com o convencional, mas com produtos e equipamentos especiais que possibilitam um trabalho mais rápido”, garante João Furlan, sócio e diretor de marketing. Lá foram realizados reparos em um amassado na lateral, o conserto do parachoque traseiro e a recuperação das lentes do farol. Tudo com dois anos de garantia.

Como eram vários serviços, o trabalho levou quatro horas e o carro precisou voltar no dia seguinte para finalizar o polimento e a recuperação do para-choque. Uma terceira visita foi agendada para retirar o verniz que havia escorrido no plástico. O resultado não ficou 100%. “Olhando de lado, você vê uma ondulação no local onde estava amassado e ficaram alguns pontos crespinhos por baixo da pintura”, comentou a proprietária.

Funilaria e Pintura

1 e 2. O farol sendo Preparado e polido 3. As lentes envernizadas Recuperaram o brilho 4. A coluna amassada é Lixada 5. Com o spotter, ele puxa a peça amassada de volta ao lugar 6. Secagem do pri mer sob Luz uv 7. Preparação da tinta à base de água com uso de espectofotômetro 8. Pintura 9. Finalização com polimento da peça

A câmara de pintura, segundo Mauro Frison, é indispensável para um serviço perfeito. Mas ela não faz parte do modelo de negócio da multinacional Chips Away

Segundo Mauro Frison, consultor de Motor Show e proprietário da oficina Frisontech, entrou sujeira por baixo do verniz. “Um trabalho perfeito exige uma cabine de pintura, que insufla ar quente do teto para empurrar todas as partículas suspensas para o chão, evitando que grudem no carro”, explica. “Além disso, o tempo de secagem de cada camada precisa ser respeitado. Somente o primer leva quatro horas”, completa. O representante da Chips Away rebate: “Nós utilizamos materiais especiais de secagem rápida, inclusive o primer, que seca em um minuto quando exposto à lâmpada UV”, explica Furlan. Ele garante que ainda está em processo de adaptação de equipamentos e produtos para aperfeiçoar o trabalho ao nível do restante do mundo, o que justificaria as falhas. Com relação aos faróis, que foram lixados e envernizados (não polidos), Mauro Frison aprovou o trabalho da nova empresa, mas lembrou que é preciso analisar se vale a pena, já que, em alguns casos, pode sair mais caro que uma lente nova. “Apesar de o serviço não ter ficado perfeito, acredito na proposta”, comentou a proprietária, que acompanhou todo o trabalho. Um serviço convencional levaria um dia e custaria cerca de R$ 700 (só o amassado na coluna C). Um martelinho de ouro resolveria o caso por cerca de R$ 400.

O carro seguiu para a Frisontech para o polimento técnico. Basicamente foi lixado com uma politriz e recebeu cera de carnaúba. A revitalização da pintura foi impressionante. Os riscos da roda não foram removidos, mas ela ficou com aspecto de nova. Segundo Mauro, se o estado do carro não estiver muito grave, o polimento, que custa cerca de R$ 280, pode ser feito em casa. O reparo do trinco do para-brisa foi feito na CarGlass. Como o trinco tinha pequeno diâmetro, a troca da peça era desnecessária.

No centro de estética, os retoques finais: o sistema de ar foi higienizado, assim como os bancos, o teto e laterais das portas. “A limpeza é aconselhável para preservar o interior isento de fungos e bactérias”, orienta Paccione, da Studio Car Moema. Antes da sessão de foto, o carro foi lavado e pronto: o Clio 2003 estava novo, de novo. Agora, ele pode ser vendido pelo preço de tabela sem que os compradores apontem defeitos para desvalorizá-lo.

1. Dilata-se o furo a ser reparado para a limpeza 2. Uma cápsula de resina é estourada sobre o ponto a ser reparado usando um espelho como guia 3. Uma lâmina bloqueia o oxigênio e a luz UV acelera a secagem 4. É aplicada cera cristalizadora 5. Os excessos são retirados 6. O vidro está consertado

 

 

 

 

 

Note a diferença de portas e bancos após a higienização. Isso porque, segundo o especialista da Studio Car Moema, nem estavam tão sujos para um carro com dez anos de uso

Para fazer em casa

Existem kits que podem ser usados em casa para obter resultados semelhantes ao do Clio. Eles são ideais para a manutenção pós-transformação. Testamos um deles, da Dry and Clean (R$ 79,90), em um Chevrolet Astra usado. O teste foi feito com a pasta revitalizadora de para-choques, o cristalizador do para-brisa, o lavador a seco, o higienizador do ar e o limpa pneu. “Achei nota dez. A visibilidade melhorou muito, mas acho que poderia ser vendido em lojas, além da internet”, a rmou Geraldo Adriano Moura, dono do carro.

Agradecimentos: chips away (11) 3745-2000 / carglass (11) 2126-0101 / frisontech (11) 3906-1640 Studio car moema (11) 5531-0351 / concessionária renault (11) 3018-3000 / dry and clean (11) 2476-5182

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar