SÓ FICOU SÓ FICOU O MESMO NOME

Potência de 145 cv

0 a 100 km/h: 12s2

R$ 74.890

Tudo é novo, exatamente igual ao modelo europeu. Um belo passo da Ford Brasil: passamos da versão mais antiga e fomos direto para a versão atualíssima, pulando o modelo anterior que foi comercializado na Europa e não chegou ao Brasil. Para efeito de mercado, os modelos antigos continuarão a ser produzidos em suas versões básicas e serão posicionados como carros de entrada do segmento a preços mais atraentes. Por que investir nesse segmento? Classificado como C, essa fatia representa 11,5% do mercado brasileiro, cerca de 300.000 unidades, entre hatch e sedã. Um número apetitoso para a indústria nacional. O Focus Sedan vai disputar consumidores com Civic, Corolla, Vectra, 307, Pallas, Sentra e Mégane, além do futuro Linea, que será lançado até o final do ano pela Fiat.

Ao contrário do que poderíamos pensar, o novo Focus, assim como o modelo mais velho, não é produzido no Brasil e sim na Argentina. No acordo selado entre os dois países, os carros produzidos em qualquer um deles não pagam imposto de importação. Assim, mesmo produzido na Argentina, o novo Focus pode ser considerado nacional, pela ausência de fronteiras alfandegárias. O fato é que o novo produto é mundial.

Produzido em nove fábricas espalhadas pelo mundo e comercializado em quatro continentes, o Focus agora é o mesmo carro em qualquer canto do mundo. Sua plataforma, base onde se apoia e vai fixada praticamente toda a mecânica, é a mesma utilizada pela minivan C-Max, pelo Volvo C30 e pelo Mazda 3. Uma operação que tem por objetivo a redução de custos de produção. Essa plataforma já era utilizada pelo Fo2cus que deixou de ser produzido na Europa, mas passou por aperfeiçoamentos e ressurgiu nessa novíssima versão.

Mecanicamente os modelos (o hatch chega em seguida) serão disponibilizados com motor Duratec 2.0 16V todo em alumínio (semelhante à versão anterior de 143 cv, mas com nova calibração), que produz 145 cv (torque máximo de 18,9 kgfm a 4.500 rpm), com o recurso do coletor de comprimento variável para melhorar o torque nas baixas rotações. Tanto que esse motor disponibiliza 80% do torque máximo já a 1.500 rpm. A suspensão independente nas quatro rodas (McPherson na dianteira e multilink na traseira) e o sistema de direção eletro-hidráulico (permite set-up normal/conforto/esporte) são recursos disponíveis no Civic e no Focus e propiciam conjuntamente uma ótima dirigibilidade e estabilidade direcional. Não por acaso itens positivos em ambos, que contam com esses recursos.

A modernidade do painel segue a das linhas da carroceria, iguais às do modelo europeu. Nada de contornos exagerados, apenas linhas atuais e de extremo bom gosto

A versão avaliada Ghia é bem completa e traz bancos revestidos em couro, piloto automático, teto solar, partida sem chave, ar-condicionado de duas zonas e excelente sistema de som (os dois últimos em destaque acima). Custa R$ 74.890!

Na composição da receita mecânica, a crítica fica por conta do consumo do motor quando aplicado com a nova transmissão automática de quatro marchas: os técnicos da Ford foram generosos demais quando determinaram a quantidade de combustível que o motor consumiria. Na cidade, é difícil obter marcas acima dos 7 km/l, enquanto em boas estradas e a velocidade de cruzeiro, ao redor dos 110 km/h, foi difícil superar os 11 km/l. Índices altíssimos, principalmente se considerarmos que esse motor consome apenas gasolina.

Os novos Focus serão oferecidos nas versões GLX ou Ghia. Todos Focus nova versão, tanto o sedã quanto o hatch, serão equipados com motor Duratec 2.0 e poderão ter câmbios manual de cinco marchas ou automático. A versão Ghia (cerca de R$ 75.000 completa com os equipamentos do GLX mais ar dual zone, bancos em couro, sensor de estacionamento, piloto automático, teto solar, partida sem chave e transmissão automática seqüencial) será o modelo mais luxuoso e caro da nova linha. O GLX (cerca de R$ 63.000) tem ABS, air bag duplo, rodas de alumínio de 16 pol., toca CD, computador de bordo e alarme.

A traseira do novo Focus lembra a do antigo Vectra, tanto a lanterna quanto o pára-choque

Um dos mimos do carro é a partida sem chave. Basta que o cartão de abertura das portas esteja dentro do automóvel e o carro liga ao apertar um botão

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorSerra da Bocaina
Próxima notíciaAgora, um legítimo fiat