Sofisticação ao alcance de muitos

Roberto Assunção

Ninguém duvida do sucesso do Fiat Uno. Desde seu lançamento, em 1984, até agosto deste ano, foram 3.720.232 unidades vendidas no Brasil. Contudo, a vida do Fiat, nos últimos tempos, não estava fácil. Depois da chegada dos rivais Volkswagen Up e Ford Ka, ele foi ultrapassado nos licenciamentos pelo Fiat Palio. Agora, chega o momento de o carro virar a mesa. O Uno 2015 recebeu uma atualização visual, um interior reformulado e ainda estreou o câmbio Dualogic Plus e a tecnologia start-stop, inédita no segmento, que reduz o consumo por desligar o motor durante breves paradas (leia mais na página 39).

Com esse face-lift, a Fiat refere-se ao carro como “novo” Uno, o que é aplicável se considerarmos que a geração anterior foi totalmente aposentada em 2013, com o m da produção do Mille. Mas não se trata de uma nova geração – por isso, preferimos chamá-lo de Uno 2015. Ao todo, são sete versões, sendo duas delas novas, ambas com quatro portas: Attractive 1.0 e Evolution 1.4 Start-Stop. Os preços partem de R$ 30.990 e chegam a R$ 36.650 (ou R$ 37.970 com câmbio automatizado). As já conhecidas versões Vivace 1.0 de duas e quatro portas mantiveram o visual do modelo anterior (lançado em 2010) e têm preço de R$ 26.370 (2p) e R$ 28.800 (4p).

O Uno mudou, mas sem abdicar de suas linhas “quadradas arredondadas” (nas bordas), que estrearam em 2010. O exterior está musculoso e, na dianteira, vieram novos faróis, capô, grade, para-choque e para-lamas. Os retrovisores passam a ter repetidores de seta e maçanetas com fechadura integrada. Na traseira, o frescor está nas lanternas e no para-choque (o Uno Sporting tem difusor de ar e dupla saída de escape central). As calotas e as rodas de liga leve (aro 15 no Sporting e 14 nos demais) também têm novo desenho.

Se por fora a mexida foi pontual, por dentro a história é outra. A cabine deu um salto em qualidade e so sticação. O acabamento traz novos materiais e texturas. A ergonomia foi bene ciada com o novo posicionamento dos comandos elétricos dos vidros e dos retrovisores (agora na porta), além de entradas auxiliar e USB e tomada 12V no console central. A posição de dirigir está melhor, graças aos bancos repensados em estrutura, densidade da espuma e tecidos . Quem viaja atrás encontra um assento bipartido (60/40) com três encostos de cabeça e cinto de segurança de três pontos até para o quinto ocupante.

O volante multifuncional oferece boa empunhadura e é regulável em altura. O quadro de instrumentos tem display LCD de 3,5” de alta resolução. Ele exibe informações que vão desde o nível de combustível e temperatura do motor até indicador de troca de marcha (dependendo da versão). A manopla de câmbio também é nova. O rádio é do tipo 2DIN, mas quem preferir pode optar pela central multimídia com tela de 6,2” sensível ao toque oferecida pela Mopar. A divisão de acessórios da Fiat Chrysler Automobiles também oferece um rádio 4U, que interage com o smartphone do motorista em músicas e telefonemas.

No test drive realizado na Argentina, embarcamos no Uno Way 1.4 com câmbio Dualogic Plus de cinco marchas (disponível também no Sporting 1.4). Nessa con guração aventureira, o carro tem preço inicial de R$ 34.990 com câmbio manual e de R$ 37.970 com a caixa automatizada de embreagem única. A transmissão abdicou da alavanca e passa a ser operada por botões, como em modelos da Ferrari ou da própria Fiat (500 Abarth). As trocas sequenciais são feitas pelas borboletas atrás do volante. Dirigindo, você percebe que o casamento desse motor com a caixa robotizada foi feliz. As mudanças ou as reduções acontecem com agilidade e os trancos entre as trocas foram suavizados. 

Mesmo com sete versões disponíveis, sentimos falta de uma Dualogic Plus equipada com o start-stop. Por outro lado, o isolamento acústico foi aprimorado em comparação com o modelo anterior. E, visando um aumento no conforto vibracional-acústico, todas as versões do Uno passam a ter um novo coxim prismático, que reduz as vibrações do conjunto motor-câmbio e, consequentemente, o nível de ruído na rodagem.

As suspensões têm calibração macia e tornam a condução do carro mais agradável. Algumas funções aumentaram a comodidade e a segurança. Entre elas, o Lane Change (com um leve toque na alavanca, a seta pisca cinco vezes), o Emergency Stop Signaling ou ESS (em uma freada brusca ,os piscas são acionados junto com as luzes de freio) e o Tilt-Down (quando o motorista engata a ré, o retrovisor direito abaixa automaticamente para ajudar na hora de estacionar). Além disso, ao fazer balizas ou manobras, o Uno pode trazer sensor de estacionamento e espelho retrovisor com câmera de ré. A verdade é que o Fiat Uno está mais belo e amadurecido. Agora ele tem a chance de se aproximar de seus concorrentes.