SsangYong: a pouca conhecida “mãe” do BMW X6 e de outros SUV-cupês

No mercado brasileiro desde 2001, a coreana SsangYong nunca conseguiu emplacar um produto de sucesso por aqui, embora alguns de seus últimos lançamentos, como o Korando (leia aqui), sejam produtos bem interessantes.

No passado, o pouco sucesso podia ser explicado pelo design de seus modelos. Veja aqui o primeiro que chegou ao Brasil, o Musso:

Wikipedia
Ssangyong Musso, primeiro modelo da marca no Brasil

Depois de observar a foto acima, nem é preciso dizer muito. Suas linhas “inusitadas”, para dizer o mínimo, atraiam poucos clientes. A isso se somava o número bastante reduzido de concessionárias e ao nome de difícil leitura, tornavam difícil a vida da marca.

Em 2005, porém, a SsangYong tentou virar o jogo inovando no design, e lançou o substituto do terrível Musso – que chamou de Actyon.

SsangYong
O Actyon, de 2005, foi o primeiro SUV-cupê do mundo. Muitos torceram o nariz, mas depois ele foi copiado

Embora com um design mais atraente que o do Musso – o que não é uma tarefa difícil – lembro de ter ouvido cometários impublicáveis de colegas na época sobre seu design, uma mistura bizarra de SUV com cupê. Como alguém podia misturar conceitos tão distintos? A esportividade de um um cupê em um SUV? Que loucura!

Logicamente, as vendas não decolaram e ele não resolveu o problema de mercado da marca. Sem saber, porém, o Actyon lançou uma tendência no mercado que segue forte até hoje. A primeira a copiá-lo (ou, em uma incrível coincidência, a ter a mesma ideia) foi a BMW. Olhe agora a foto do X6, que começou a ser vendido pelo menos três anos depois, em abril de 2008. 

BMW
O X6 nasceu mais de três anos depois. Cópia ou muita coincidência? Não importa: a SsangYong chegou antes

Compare bem as duas fotos: não há como negar que são muito parecidos (e estranhos). Abaixo, uma galeria com as duas. Basta clicar nas setas para ir de uma a outra.


De fato, na Polônia um sujeito gostou tanto da semelhança entre os dois que resolveu fazer seu próprio SUV-Cupê, com corpo de Actyon e cara de BMW:

carscoops.com
Mistura “caseira” dos dois modelos foi encontrada na Polônia (carscoops.com)

Como o Actyon, o X6 também foi recebido com muitos narizes torcidos. Além de também ser uma mistura bizarra, é um carro enorme com pouco espaço interno. Mas depois de um tempo, talvez pelo logotipo na grade dianteira, talvez por algo que esteja longe de minha compreensão, as pessoas passaram a amá-lo e as vendas decolaram.

Daí vem nascendo outros modelos: a própria BMW criou o “mini-X6”, ou X4:

BMW X4

 

E algumas outras marcas, como a Mercedes-Benz, já correm atrás do prejuízo e estão lançando seus próprios SUV-cupês. Veja o GLE Coupé, por exemplo:

Mercedes GLE chega no 3º trimestre deste ano

MORAL DA HISTÓRIA

Nunca desdenhe de uma marca porque ela tenta pensar diferente. O design ridicularizado hoje pode ser cobiçado amanhã. Se ninguém inovar, se ninguém buscar alternativas, os carros ficam todos iguais (por outro lado, tendências inovadoras, se copiadas/seguidas por muitos, acabam criando, também, um monte de carros iguais. Vamos ver até onde vai essa onda de SUV-cupês).