Suzuki também assume problemas em testes de emissões

0
945
O crossover S-Cross é um dos modelos afetados, mas a marca garante que o problema está restrito aos carros do mercado japonês (Foto: Divulgação)

A japonesa Suzuki admitiu nesta quarta-feira (18) o uso de normas irregulares para a medição do consumo de combustível dos 16 modelos vendidos pela montadora no mercado japonês. No mês de abril, a Mitsubishi já havia revelado o uso de um método ilegal para medir a eficiência dos seus veículos.

Em nota, o fabricante informa que no lugar dos testes de estrada previstos em lei, nos quais a resistência à rodagem é medida do conjunto como um todo, os técnicos da empresa decidiram utilizar uma fórmula para medir a resistência de cada um dos componentes do automóvel (pneus, transmissão, freios, etc.) de forma separada. O resultado são números de consumo diferentes do que seriam obtidos em um teste real.


Apesar disso, a Suzuki nega que o objetivo da prática tenha sido o de manipular os resultados de consumo, já que as diferenças entre os testes reais e os feitos com a fórmula da empresa teriam ficado dentro da “margem de erro”. A prática, segundo a montadora, teria sido adotada devido às condições da pista de testes da fábrica de Sagara, muito próxima às montanhas e ao litoral e, por isso mesmo, muito sujeita às variações de vento.