Suzuki Vitara

+ PONTOS POSITIVOS +

O Vitara continua o mesmo do ano passado, quando se reinventou e trocou o comportamento de jipe pelo de um legítimo e comportado crossover. As duas versões de entrada ficaram bem mais baratas, com câmbio manual e automático. Nos anos 1990, o Vitara tinha charme, mas só agradava quem gosta de jipe, torcendo a carroceria a cada buraco ou lombada. Agora voltado para a família, o Vitara traz versões 1.6 com tração dianteira ou integral de 126 cv e, para quem é abonado, duas opções 4×4 com motor 1.4 turbo de 146 cv.

PONTOS NEGATIVOS

O pequeno mercado é um dos pontos negativos do Suzuki Vitara, pois a concorrência é forte. E um dos fatores pode ser o portas-malas reduzido, de apenas 375 litros. Para quem compra o Vitara 1.6, o desempenho é razoável. Devido ao seu DNA, nunca foi um carro que proporcionasse prazer ao volante, mas sim charme e versatilidade. O nome das versões também dificulta a empatia com o público, pois traz muito mistura de números e letras e nenhuma palavra – difícil escolher.


Ficha técnica:

Suzuki Vitara 1.6

Motor: 1.6
Potência: 126 cv a 6.000 rpm
Torque: 16,7 kgfm a 4.400 rpm
Câmbio: AT6
Pneus: 215/60 R16 ou 215/55 R17 (4Sport)
Consumo cidade: 12,2 km/l
Consumo estrada: 13 km/ll
Emissão de CO2: 105 g/km
Nota do Inmetro: C