Teste rápido: ao volante do incrível Porsche 718 Cayman GT4

O Porsche 718 Cayman GT4 é um daqueles carros capazes de transmitir uma dirigibilidade ímpar graças ao equilíbrio magnífico; confira nossas impressões

0
842
Porsche 718 Cayman GT4
Foto: Divulgação

A musicalidade regida por um comboio de Porsche 718 Cayman GT4 e 911 GT3 na reta do autódromo VeloCitta, no interior de São Paulo, enunciava um presságio do que nos aguardava. Mãos suadas, ansiedade e, enquanto aguardo a minha vez, tento manter os pensamentos no lugar.

Já ao volante do Porsche 718 Cayman GT4 e repetindo “Mens sana in corpore sano” (mente sã, corpo são), à minha frente sou conduzido pelo carro madrinha nos 3.493 m de extensão do traçado para explorar as capacidades do novo superesportivo de Stuttgart à venda no Brasil por iniciais R$ 705.000.

Desenvolvido pelo time de Motorsport, em Weissach, o Porsche 718 Cayman GT4 é fruto da louvável engenharia alemã trazendo um chassis derivado do 911 GT3 (geração 991.2) e uma aerodinâmica digna de capítulo à parte.


Afinal, ela foi trabalhada para entregar 25% a mais de downforce comparado ao anterior Cayman GT4 e até 145 kg de pressão aerodinâmica. Dos quais, 122 kg gerados na traseira (30% desse valor atribuído ao difusor de ar). E a asa sobre a tampa do porta-malas ajustável gera 20% a mais de pressão frente o antecessor (+12 kg).

+ Avaliação: Porsche 911 Carrera S Cabriolet é clássico imbatível
+ Novo Porsche Macan estreia no Brasil a partir de R$ 415.000
+ Porsche bate outro recorde em Nürburgring; veja o vídeo
+ Emerson Fittipaldi: em Nürburgring com o Porsche 917/10 da Can-Am

Motor Boxer naturalmente aspirado em posição central  

O Porsche 718 Cayman GT4 emprega propulsor Boxer (cilindros contrapostos) de seis cilindros e quatro litros naturalmente aspirado em posição central. Desta forma, assegura baixo centro de gravidade, além de melhores distribuição de peso e agilidade em curvas. O bloco é baseado no do 911 Carrera (confira a nossa avaliação), mas com maior diâmetro e curso (102 mm x 81,5 mm), bielas mais largas, bronzinas superdimensionadas, injetores Piezo (permite melhor atomização do combustível) e virabrequim forjado.

Porsche 718 Cayman GT4
Foto: Divulgação

Os 420 cv de potência e 42,82 kgfm de torque são entregues de forma brutal e esse poderio orquestrado pelo magnífico câmbio de dupla embreagem PDK (Porsche Doppelkupplung) e sete marchas, com opção de trocas sequenciais mais função punta-tacco automática – em carros manuais, uma manobra de acionar os pedais do freio/do acelerador ao mesmo tempo para ganhar tempo no contorno de curvas.

Ainda falando de números de desempenho, o 718 Cayman GT4 despeja 35 cv a mais comparado ao antecessor, cuja motorização seis cilindros Boxer 3.8 produzia 385 cv. Além disso, o novo propulsor do GT4 é compartilhado no 718 Spyder (a partir de R$ 739.000), porém, com diferença na velocidade máxima entre eles: 302 km/h contra 300 km/h, respectivamente.

Porsche 718 Cayman GT4 (13)
Cor verde Pitão custa R$ 21.398 (Foto: Divulgação)

A sonoridade grave e encorpada vem do novo sistema de exaustão com silenciador único e duas saídas. É algo difícil de transmitir por palavras, pois o 718 Cayman GT4 é um superesportivo que merece ser dirigido e apreciado por qualquer mortal.

+ Exclusivo: ao volante do Porsche 911 RSR das 24 Horas de Le Mans
+ Porsche 911 GT3 Touring é o GT3 em traje de gala
+ Porsche Cayenne Turbo GT chega ao Brasil a partir de R$ 1,2 milhão
+ Porsche 911 GT3 Touring é o GT3 em traje de gala

Bailando nas curvas 

A perfeita posição de dirigir é “culpa” dos bancos esportivos no formato concha em fibra de carbono capazes de acomodar e segurar muito bem o corpo. No entanto, esse equipamento é cobrado à parte e sai por R$ 35.665 extras. Um detalhe interessante está na ausência das maçanetas internas e a abertura realizada por meio de uma fita em tecido, uma inspiração vinda dos carros de corrida. 

As respostas espantosas ao menor toque no acelerador junto das mudanças/reduções impressionantemente ágeis da transmissão o fazem uma obra-prima dos tempos modernos.

Enxuto, com 4,456 m de comprimento e 2,484 m de entre-eixos é rápido nas mudanças de trajetória e exigiu mínimas correções de volante, seja nas curvas mais travadas ou nas feitas mais rapidamente. Uma dinâmica assombrosa concedida também pelas suspensões ativas PASM (Porsche Active Suspension Management) do tipo MacPherson com juntas esféricas e altura 30 mm menor. De acordo com o fabricante, o conjunto dianteiro e traseiro são regulados manualmente em câmbagem, convergência e barra antirolagem, para citar.

O contato com o piso é mérito dos pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 de medidas 245/35 ZR20 na dianteira e 295/30 ZR20 atrás. Vindo em ritmo acelerado e ao pressionar fundo o pedal do freio, o Porsche 718 Cayman GT4 desconhece o termo “transferência de cargas” e se manteve firme nas frenagens de 200 km/h a 90 km/h. Aliás, estão presentes discos ventilados/perfurados de 380 mm à frente e atrás, com pinças de alumínio de seis pistões e de quatro, na ordem.

Porsche 718 Cayman GT4
Foto: Divulgação

Sendo um veículo semi-pista também estão disponíveis opcionalmente os freios Porsche Ceramic Composite Brake (PCCB). Eles cobram R$ 52.703 extras, com generosos discos de 410 mm no eixo dianteiro e de 390 mm no traseiro, além de serem 50% mais leves que os comuns de ferro fundido.

Não consegui medir o meu tempo de volta no VeloCitta, mas no mítico traçado de Nürburgring Nordschleife, na Alemanha, ele virou 7 minutos e 18 segundos – um temporal de 12 segundos mais rápido comparado ao Porsche Cayman GT4.

Ao final de algumas voltas, ficou aquele sentimento de despedida e de querer vê-lo o mais breve possível, pois é uma máquina extraordinária tanto de guiar quanto de ser admirada.


FICHA TÉCNICA

PORSCHE 718 CAYMAN GT4
Preço básico: R$ 705.000
Carro avaliado: R$ 770.701 

Porsche 718 Cayman GT4
Motor: seis cilindros Boxer (cilindros contrapostos) 4.0, 24V, injeção direta, coletor de admissão variável, sistema de lubrificação com cárter seco, eixo de comando variável variocam, sistema de exaustão esportivo
Cilindrada: 3955 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 420 cv a 7.600 rpm
Torque: 42,82 kgfm a 5.500 rpm
Câmbio: automatizado de dupla embreagem, sete marchas
Direção: elétrica
Suspensões: Macpherson (d/t)
Freios: Discos ventilados e perfurados (d/t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,456 m (c), 1,801 m (l), 1,269 m (a)
Entre-eixos: 2,484 m
Pneus: 245/35 ZR20 (d) e 295/30 ZR20 (t)
Porta-malas: 275 litros (dianteiro com 150 litros)
Tanque: 64 litros
Peso: 1.450 kg
0-100 km/h: 3s9
Velocidade máxima: 302 km/h
Consumo cidade: 9,1 km/l
Consumo estrada: 12,2 km/l
Emissão de CO2: 133 g/km
Com etanol = 0 g/km
Nota do Inmetro: C*
Classificação na categoria: C*
*estimado

Mais na Motor Show

+ Avaliação: Audi RS 6 Avant, a perua milionária que nos faz perder o juízo
+Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+Comparativo: Volvo XC40 vs. Mercedes-Benz GLA
+Teste de consumo: Corolla Cross Hybrid vs. Corolla Cross 2.0
+Avaliação: Jeep Compass Sport 2022 e a relação custo-benefício
+Avaliação: Honda CR-V 2021 muda visualmente e nos conteúdos, mas faltou ser híbrido
+Avaliação: Volkswagen ID.4 é o Taos do futuro (e já chegou)