Teste rápido: Hyundai Creta 2022 mostra visual diferente e boa dirigibilidade

Avaliamos na pista o Hyundai Creta 2022 com motor tricilíndrico 1.0 turboflex para te falar como é o desempenho da nova geração do SUV; confira

0
1362
Hyundai Creta 2022
Foto: Roberto Assunção

O Hyundai Creta foi lançado em 2017 e logo tornou-se um sucesso de público. Com o nome inspirado na Ilha de Creta, a maior da Grécia, o SUV compacto feito em Piracicaba (SP) nasceu da plataforma do Hyundai Elantra/Kia Soul oferecendo 4,290 m de comprimento, 1,780 m de largura, 1,635 de altura, 2,590 m de entre-eixos e bons 431 litros de porta-malas. 

Mesmo com bons atributos merecia uma atualização e ela veio acompanhada de um estilo
“ame-o ou deixe-o”. Diferentes do usual, as linhas contribuíram na personalidade do utilitário esportivo, mas espere para julgá-lo, pois a nova geração do Hyundai Creta 2022 vai além do design.

+ Hyundai Creta 2022: veja todas as versões, preços e equipamentos


Vamos falar do visual? 

Inegavelmente, os destaques vão para os conjuntos ópticos dianteiro/traseiro, porém, o nosso Hyundai Creta 2022 possui diferenças comparado ao modelo russo. Uma delas, está na grade frontal trazendo elementos cromados e uma passagem de ar na porção inferior. Outra característica aparece na terceira luz de freio sob o spoiler de teto ao contrário do Hyundai Creta gringo, que vai localizada no centro da tampa do porta-malas.

A nova geração do Hyundai Creta 2022 cresceu nas dimensões indo a 4,300 m de comprimento (+ 10 cm), 1,790 de largura (+ 10 cm), 1,620 m de altura (-15 cm) e 2,610 m de entre-eixos (+ 20 cm). Já o porta-malas passou a 422 litros (- 9 litros). Mesmo assim, possui um volume superior ao dos concorrentes Chevrolet Tracker (393), Citroën C4 Cactus (320), Jeep Renegade (320), Peugeot 2008 (355), além dos Volkswagen T-Cross (373)/Nivus (415) – Nissan Kicks e Honda HR-V aspirado possuem 432 e 437, respectivamente. 

Hyundai Creta 2022
Foto: Roberto Assunção

A cabine chama a atenção pela qualidade dos acabamentos junto do desenho do volante com raio diminuto e base achatada, o quadro de instrumentos digital, o teto solar panorâmico, o multimídia de 10,25” com Android Auto/Apple CarPlay/GPS embarcado, o freio de estacionamento elétrico, o carregador de smartphone por indução, o sistema de câmeras 360º, a função Auto Hold (mantém o carro freado sem a necessidade de pressionar o pedal do freio) e o Hyundai Bluelink. Este último, já presente no HB20 possibilita fazer comandos via smartphone. Entre eles, ligar o veículo/abrir as janelas, receber alertas, ajustar a climatização, buscar/acessar pontos de interesse por meio de um mapa no aplicativo do Bluelink e enviá-los ao veículo, por exemplo.

+ Avaliação: Hyundai Ioniq 5, um elétrico incrível, é verdadeira revolução coreana
+ Fiat Argo ou Hyundai HB20? Veja qual deles tem o seguro mais barato
+ Confira quanto custa manter um Hyundai HB20 1.0 até os 100.000 km
+ Hyundai Kona N é um SUV que faz de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos


A nova geração do Hyundai Creta 2022 ainda trouxe os comandos de voz permitindo ligar/desligar o ar-condicionado, ativar a ventilação do banco do motorista, abrir/fechar o vidro do lado do condutor, enviar mensagens de texto e obter informações sobre o clima/pontos de interesse. Segundo o fabricante, o pacote do Bluelink será gratuito nos seis primeiros meses e após terá uma mensalidade de R$ 29,90 para o pacote básico ou de R$ 49,90 para o uso de navegação por GPS.

Segurança subiu um patamar 

A segurança no Hyundai Creta 2022 foi evidenciada oferecendo frenagem autônoma de emergência com reconhecimento de carros/pedestres/ciclistas, controlador de velocidade adaptativo (ACC), detector de fadiga, farol alto automático e câmeras nos retrovisores externos para evitar pontos cegos. O sistema da Hyundai projeta as imagens no centro do quadro de instrumentos  com melhor visualização/resolução que nos Honda Civic Touring CR-V Touring.

Hyundai Creta 2022
Câmeras nos retrovisores externos ajudam a evitar pontos cegos (Foto: Roberto Assunção)

O SUV da Hyundai também debutou o detector de fadiga e o recurso de Detecção de Convergência à Esquerda. Em situações de risco de colisão com um veículo no lado oposto, os freios são acionados automaticamente caso não haja reação do motorista. Há também o assistente de centralização e de permanência em faixas (atua no volante corrigindo a trajetória baseando-se nas faixas de rodagem e no carro à frente). E para facilitar as manobras há sensores de estacionamento à frente e atrás, além do alerta de esquecimento de objetos no banco traseiro. 

+ Nissan Kicks SV vs. Hyundai Creta Pulse Plus, veja o comparativo
+ Avaliação: Hyundai Creta 2020 muda para voltar ao topo
+ Avaliação: Hyundai Creta Sport dá um bom tapa na monotonia visual
+ Comparativo: Hyundai Creta 2.0 vs. Nissan Kicks e Honda HR-V

Mecânica empolga pelas reações

As versões do Hyundai Creta 2022 são Comfort, Limited e Platinum, com motor 1.0l Turbo GDI, e Ultimate, dotada do bloco Smartstream 2.0l de 167 cv e 20,6 kgfm. Ambas motorizações usam câmbio automático de seis marchas com possibilidade de trocas sequenciais na alavanca ou nas borboletas atrás do volante, assim como o sistema Stop & Go responsável por desligar o motor durante breves paradas, como nos semáforos.

Sem dúvidas, o ponto alto está no propulsor tricilíndrico Kappa 1.0 turboflex com injeção direta, vindo do Hyundai HB20, capaz de entregar até 120 cv de potência e 17,5 kgfm de torque (etanol). Isso ficou comprovado durante nosso primeiro contato nos 2.500 m de extensão do autódromo do Haras Tuiuti, no interior de São Paulo.

Hyundai Creta 2022
Foto: Roberto Assunção

É um SUV que acorda cedo por conta do torque disponível logo a partir de baixos 1.500 rpm e o Hyundai Creta 2022 mostrou disposição, seja nas acelerações quanto nas espertas retomadas proporcionadas pelo baixo turbolag e o trabalho direto da caixa automática de seis velocidades. Além disso, estão disponíveis os modos de condução Smart, Eco, Normal e Sport, que mudam determinados parâmetros do veículo, como as respostas do motor, da transmissão e da direção.

Outros elogios vão para as suspensões do tipo McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira contribuindo no controle da carroceria sem deixar o SUV rolar demais nas curvas fechadas ou contornadas mais rapidamente. Os freios são a discos nas quatro rodas transmitindo boa modulação de pedal e confiança nas frenagens mais fortes.

Embora o Hyundai Creta 2022 entregue um fôlego renovado sob o capô foi mantida a versão Action (R$ 96.490) equipada com o antigo motor Gamma 1.6 16V. A estratégia do fabricante é dele ser o novo SUV de entrada da gama em nosso mercado.

Os custos das revisões do Hyundai Creta 2022 para a motorização 1.0 turbo são de R$ 294,49 (10.000 km ou um ano), R$ 577,48 (20 mil km ou 24 meses), R$ 573 (30 mil km ou 36 meses), R$ 757,70 (40 mil km ou 48 meses), R$ 542,06 (50 mil km ou 60 meses) e R$ 1.046,61 (60 mil km ou 72 meses).

Já para o 2.0 sai por R$ 373,25 (10 mil km ou 12 meses), R$ 718,13 (20 mil km ou 24 meses), R$ 651,76 (30 mil km ou 36 meses), R$ 805,51 (40 mil km ou 48 meses), R$ 620,82 (50 mil km ou 60 meses) e R$ 780,03 (60 mil km ou 72 meses).

O visual da nova geração do Hyundai Creta poderá dividir opiniões, mas ele irá seduzir quem procura um SUV bacana de dirigir associado a bom espaço interno e uma lista recheada de itens de segurança. Um SUV que vai além do design.


FICHA TÉCNICA

HYUNDAI CRETA PLATINUM
Preço básico: R$ 107.490 (versão Comfort 1.0 T)
Carro avaliado: R$ 135.490

Hyundai Creta Platinum
Motor: três cilindros em linha 1.0, 12V, duplo comando de válvulas variável (admissão e escape), turbo, injeção direta
Cilindrada: 998 cm³
Combustível: flex
Potência: 120 cv a 6.000 rpm (g/e)
Torque: 17,5 kgfm a 1.500 rpm (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensão: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,300 m (c), 1,790 m (l), 1,620 m (a)
Entre-eixos: 2,610 m
Pneus: 215/60 R17
Porta-malas: 422 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.270 kg
0-100 km/h: 11s5
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo cidade: 11,6 km/l (g) e 8,3 km/l (e)
Consumo estrada: 12 km/l (g) e 8,7 km/l (e)
Emissão de CO2: 104 g/km*
Nota no Inmetro: B*
Classificação na categoria: B (SUV Compacto)*
*estimado


Mais na Motor Show 

+ Avaliação: Fiat Argo 1.0 S-Design é ótimo popular-chic, mas vale a pena?
+ Shineray faz parceria com Coca-Cola e mostra primeira moto elétrica
+ Volkswagen deixará de fazer famosas salsichas alemãs
+ Teto de R$ 140 mil para isenção de IPI para PCD pode ir até 2026
+ Charlie Watts, do Rolling Stones, tinha coleção de clássicos mas não podia dirigir
+ Toyota Corolla Cross concorre a título de Carro Global do Ano
+ Detran de SP lista melhores (ou piores) desculpas para fugir da Lei Seca