Todos contra a nova saveiro

A versão esportiva da Strada ganhou novas molas e amortecedores e pneus de perfi l 55, que a deixaram um pouco mais baixa que a Trekking original


A ligação das picapes pequenas com esporte é quase imediata: a jovialidade desse tipo de veículo acaba associando sua imagem a esportes como surfe, ciclismo e até mesmo com os motorizados – sejam eles ligados ao off-road ou à velocidade. São justamente desse conceito esportivo os últimos lançamentos do segmento: a Fiat Strada Sporting 1.8 CE e a Montana Sport 1.4 Econofl ex, antes só oferecida na versão 1.8 com motor semelhante ao da Strada. Nelas o perfil é mais leve e menos rude que aquele visto nas ditas off-road – para um público mais ligado às viagens rodoviárias do que as aventuras na terra ou na lama.

Visualmente, a Montana Sport (no mercado desde 2003) já é bem conhecida. A grande novidade agora foi a adoção do motor 1.4, que barateou a versão

Na “família” Strada, a Sporting 1.8 veio complementar sua vasta oferta de versões. São mais de dez variantes da Strada, que vão da cabine simples (portanto, com mais volume de caçamba), passando pela cabine estendida (que leva duas pessoas e suas bagagens) e culminam com a cabine dupla, que pode transportar quatro pessoas, mais um pouco de carga na caçamba, várias delas com opções 1.4 ou 1.8 de motor. Certamente uma sempre atenderá aos anseios desse consumidor. Vendo dessa forma, fica fácil entender a liderança folgada da marca que hoje detém quase 60% do segmento.

Mecanicamente, a Sporting 1.8 traz modificações importantes. As suspensões, tanto dianteira quanto traseira, ficaram mais baixas e firmes, graças à adoção de novas molas e amortecedores. Com relação à Trekking, a Sporting ficou 1 cm mais baixa. Com as saias laterais e as rodas de desenho exclusivo de 16” calçadas com pneus de perfil 55, a impressão que fica é a de um carro bem mais baixo, como convém a um estradeiro com pretensões esportivas. Para tornar a Sporting 1.8 mais ágil nas acelerações, retomadas e ultrapassagens, os engenheiros encurtaram sua relação de diferencial de 3,733 da Trekking para 3,867.

Essa providência e uma nova calibragem do sistema de alimentação/ ignição do motor (mantendo os mesmos 113/115 cv de potência) tornaram essa nova versão da Strada bem ágil e divertida de ser dirigida. Ela traz ainda ar-condicionado, computador de bordo, cintos de segurança vermelhos, bancos com revestimento diferenciado e painel de instrumentos semelhante ao do Palio 1.8R. Volante, pomo da alavanca de câmbio e capa do freio de mão são revestidos de couro com costuras vermelhas. Por fora, o farol de duas parábolas recebeu máscara negra e vários outros detalhes internos e externos. Até o fechamento dessa edição, a Fiat não havia divulgado os preços dessa nova versão, que será oferecida apenas com cabine estendida, mas estima-se que deve girar ao redor dos R$ 41.000.

Para o lançamento da Montana Sport 1.4 Econofl ex, a Chevrolet não foi tão profunda quanto a Fiat na elaboração da nova versão. A marca limitou-se à adaptação do powertrain 1.4 na mesma configuração de acabamento da versão 1.8, que continua em produção. Essa nova versão Sport 1.4 visou, na realidade, completar a gama da Montana, que antes se restringia à versão Conquest 1.4 (entrada, praticamente de trabalho por R$ 29.102) e parava na Sport 1.8 (top de linha e vendida por R$ 46.383). Um abismo entre as duas versões. Agora a marca complementou a linha com as versões Arena 1.4 (R$ 35.067) e Sport 1.4 (R$35.067).

A nova Sport acena ao consumidor com seus 99/105 cv de potência, com boas acelerações (0 a 100 km/h em 11,8 segundos com etanol) e máxima de 173 km/h (também com etanol) e consumo contido de combustível (faz com etanol ao redor dos 10 km/l na estrada e 8 km/l na cidade). Mas a Montana, apesar do design ainda atual, continua sendo oferecida sem a opção da cabine estendida. Problema que a Saveiro, por exemplo – principal rival desses dois modelos –, já solucionou.

Ainda sem preço divulgado, a Strada oferece um pacote esportivo completo. Além das mudanças externas e de acertos, são novos ainda os instrumentos do painel, o revestimento dos bancos, do volante, do pomo da alavanca de câmbio e do freio de mão

Por cerca de R$ 35 mil, a Montana Sport (intermediária da gama) oferece um bom pacote de itens de série, entre eles ar-condicionado, direção hidráulica, vidros com acionamento elétrico, rodas de alumínio aro 15 e faróis mácara negra