Toyota Supra. A volta do mito

Quattroruote

Longos 15 anos após o m da produção da quarta geração, um novo Toyota Supra começa a tomar forma e substância de nitivas. Seu lançamento está previsto para o fim de 2017, mas, graças às nossas fontes, já podemos revelar alguns de seus detalhes. Assim como o pequeno GT86, construído sobre a mecânica da Subaru, o Supra terá plataforma e motorizações desenvolvidos por outro fabricante, enquanto a Toyota colocará sua “pegada” no design, nas tecnologias híbridas e no acabamento. A parceria é com a BMW (cuja versão será o sucessor do Z4) e os japoneses estão empenhados em personalizar seu esportivo, seguindo a tendência do conceito FT-1, exibido no Salão de Detroit, em janeiro.

Como resultado da parceria, haverá muito da BMW nessa releitura do Supra: das técnicas de construção desenvolvidas para os elétricos i3 e i8 (plataforma de aço e alumínio, carroceria de carbono) ao trem de força (o 4 cilindros turbo 2.0 do Z4). Na Toyota, entretanto, esse motor fará parte de um sistema plug-in híbrido de última geração, com potência total de mais de 350 cv, similar ao do TS040 das 24 Horas de Le Mans. O carro terá recuperação de energia de frenagem, um motor elétrico para preencher os “vazios” da unidade térmica e, pela primeira vez em um Toyota, câmbio de dupla embreagem. Para uma tração nas quatro rodas mais e caz – contradizendo Tetsuya Tada, engenheiro-chefe do GT86, que disse que o Supra teria tração traseira –, o esportivo terá três motores elétricos: dois na frente, com vetorização de torque, e um atrás. A linha Toyota, aos poucos, vai ganhando a tão prometida emoção.

 

COMPARTILHAR
Notícia anteriorA BMW i chegou
Próxima notíciaPrecisão cirúrgica