Três turbos é (bom) demais!

Roberto Assunção

O que faz um carro de mais de duas toneladas acelerar de 0-100 km/h em ínfimos 5,3 segundos? Resposta: três turbos de dupla entrada e geometria variável. Com um poderoso motor 6 cilindros 3.0 de 381 cavalos de potência e estúpidos 75,5 kgfm de torque, o X5 M50d inova na técnica e abusa da esportividade. Ele não é um carro da linha M, status que no Brasil é reservado somente a um crossover: o X6. Ele também não é tão potente quando o X5 xDrive50i M Sport, que tem um V8 4.4 a gasolina de 450 cv. Mesmo assim, esse X5 M50d é o único da linha a oferecer altíssimo desempenho num motor a diesel: nada menos que 127,3 cv/litro.

Vendido no Brasil desde dezembro do ano passado, o X5 M50d é um produto da divisão M Performance da BMW. Já nem é o caso de enfatizar o belo retoque que o “SAV” (Sport Activity Vehicle) alemão recebeu recentemente, que o deixou ainda mais bonito, e sua agradável posição de dirigir elevada. Afinal, a força desse motor e a agilidade do carro roubam a atenção e impressionam até quem está acostumado a dirigir modelos genuinamente esportivos. Qualquer solicitação no pedal do acelerador é atendida com extrema prontidão.


O grande barato é o painel, com quadro de instrumentos que muda de cor e formato conforme a condução. A tela multimídia é enorme e, para quem vai atrás, há duas telas de DVD

E se você tiver pista livre pela frente, parado em algum semáforo, pode levar esse carro de 2.190 quilos a percorrer 1 quilômetro antes que o ponteiro de segundos chegue à metade da volta no relógio. Melhor: essa condução é precisa, firme, segura e absolutamente limpa, graças ao ótimo câmbio automático de oito marchas trabalhando em conjunto com o sistema de tração integral xDrive. Mas não precisa ser piloto profissional para obter grandes performances com o X5 M50d. Ele é um carro muito fácil de guiar.

Para além das suspensões eletrônicas adaptativas, que dosam muito bem o compromisso entre desempenho e conforto, o X5 M50d conta com verdadeiras patas grudando no chão: pneus de medida 275/40 na frente e 315/35 atrás. As rodas de 20 polegadas tipo M Double-spoke ajudam esse crossover esportivo a formar seu caráter másculo e versátil. Tal facilidade na condução vem acompanhada de um quadro de instrumentos bastante exclusivo, com três visuais e conceitos diferentes. No modo Normal, a tela é preta com números vermelhos.


As rodas de 20 polegadas calçam enormes pneus e acentuam o caráter esportivo do M50d

No modo Sport, os ponteiros somem, o fundo fica vermelho, o velocímetro exibe um grande número no centro e um círculo vai ficando mais intenso à medida em que se acelera; o mesmo acontece com o conta-giros, que também mostra a marcha utilizada. No modo Eco Pro, a tela fica azul e um novo mundo surge à frente do motorista: no lugar do conta-giros aparece um gráfico mostrando o uso da potência, a recuperação de energia e indicadores da economia de combustível e aumento da autonomia.

Trata-se, na verdade, de uma ampliação do gráfico “Efficient Dynamics” usado pela BMW em seus carros. O nível de equipamentos e conforto está no topo do que se espera de um SUV premium, com tapetes de veludo, teto solar elétrico panorâmico, som Bang & Olufsen e até sistema de reconhecimento de pedestres à noite.
A versão de cinco lugares custa R$ 474.950 e a sete lugares sai por R$ 481.950.

—–

Ficha técnica:

BMW X5 M50d

Motor: 6 cilindros em linha, 24V, três turbos de dupla entrada e geometria variável, injeção direta
Cilindrada: 2993 cm3
Combustível: diesel
Potência: 381 cv entre 4.000 e 4.400 rpm
Torque: 75,5 kgfm entre 2.000 e 3.000 rpm
Câmbio: automático, oito marchas, sequencial
Tração: integral
Direção: elétrica
Dimensões: 4,886 m (c), 1,985 m (l), 1,762 m (a)
Entre-eixos: 2,933 m
Pneus: 275/40 R20 (dianteira) e 315/35 R20 (traseira)
Porta-malas: 650 litros
Tanque: 85 litros
Peso: 2.190 kg
0-100 km/h: 5s3
Velocidade máxima: 250 km/h
Consumo: não divulgado
Nota do Inmetro: não participa.