Um bom hatch, mas um tanto caro


Com relação ao design, o GM Vectra GT-X é um dos grandes destaques de nosso mercado. Na avaliação que fizemos com esta versão equipada com câmbio automático de apenas quatro marchas, o carro nos deixou uma boa impressão.

Apesar de a distância entreeixos ser menor que a do sedã, este hatch não deve muito em espaço no banco traseiro ao Vectra do qual deriva. Um bom projeto, ainda mais se considerarmos sua origem: o design, com exceção da dianteira, que é do Vectra, é o mesmo do Astra hoje produzido na Europa, e a mecânica é praticamente a mesma do Vectra 2.0.

Um carro fácil de ser desenvolvido e produzido pela GM, pois deriva de um produto que já existe, com linhas modernas e atraentes, e que possui atrativos que nenhum outro da categoria tem, como o motor 2.0 Flex (Ford Focus, Peugeot 307 e Golf são oferecidos apenas a gasolina quando equipados com motor 2 litros, assim como o Nissan Tiida 1.8, enquanto Stilo 1.8, 307 1.6 e Focus 1.6 estão disponíveis em versões flex, mas são menos potentes), rodas aro 17 e navegador GPS (apesar de ainda ser fixado através de ventosa no pára-brisa…).

O carro é confortável de dirigir, tem boas respostas ao acelerador (o motor produz quase 20 kgfm de torque máximo), é estável tanto nas retas quanto nas curvas e também bastante silencioso ao rodar. Todas estas são qualidades desejáveis em um carro oferecido por cerca de R$ 73 mil.

Porém, observando atentamente as outras ofertas do mercado, vale a pena aguardar a chegada em outubro do Hyundai i30, que oferece uma relação custo/benefício bem mais atraente nesse segmento. E, ainda este ano, o Golf 2.0 também terá motor flex.

Acima, o navegador GPS, item de série, o painel de instrumentos sóbrio e os comandos do rádio e ar-condicionado digital, que ficam mal localizados