Um Leão até no preço

Roberto Assunção

Olhe para o Peugeot RCZ com bons olhos se você quer um esportivo. Os atributos dele estão no preço, no desempenho e no visual arrebatador. Virtudes também do concorrente direto Audi TT, só que o roadster alemão custa R$ 204.500, contra R$ 132.990 do RCZ – uma diferença de R$ 71.510.

As linhas sexy do RCZ ficaram ainda melhores depois da reestilização. As novidades estão na dianteira remodelada com a nova identidade visual da marca. Destaque para a fileira de LEDs na extremidade do para-choque, na grade e nos faróis direcionais com máscara negra e lâmpadas de xenônio. O emblema do fabricante passou a ser colado diretamente na carroceria. A marca manteve duas características bem charmosas do modelo: o arco de alumínio e a ondulação do teto.

O motor 1,6 litro com turbo e injeção direta de gasolina é o mesmo dos Peugeot 308, 408 e 508, dos Mini e de alguns carros da BMW. Um bloco silencioso e econômico – na estrada, em velocidade de 120 km/h, foi possível fazer médias de consumo de 14 km/l de gasolina. Apesar de menos potente que o 2.0 do Audi TT (211 cv), o motor tem respostas rápidas e transmite emoção. A diversão vem do torque a baixíssimas rotações e o eficiente câmbio automático de seis marchas. Uma pena não ter as borboletas no volante e que as trocas manuais sejam só pela alavanca.

A suspensão firme e equilibrada permite contornar as curvas rapidamente, esbanjando segurança. No entanto, dependendo do asfalto, o carro sofre com buracos e outras irregularidades. Para aumentar a estabilidade, o aerofólio traseiro abre automaticamente acima dos 85 km/h e levanta mais em velocidade superior a 155 km/h. Se o motorista desejar, pode deixar a asa constantemente aberta ao acionar um botão no console central.

Os ocupantes são resguardados pelos quatro airbags (dois dianteiros e dois laterais), controle de tração inteligente (ASR) integrado ao controle de estabilidade (ESP) e freios com ABS, contendo auxílio de frenagem de urgência (AFU) e repartidor de frenagem (REF). Há também um sistema pirotécnico que eleva o capô em 65 mm em apenas 0,1 segundo em caso de atropelamentos para reduzir os ferimentos.

O RCZ não descuida do conforto, com um interior totalmente revestido em couro ecológico. O volante tem a base achatada e os bancos apresentam desenho esportivo, ajustes elétricos e aquecimento. Há também dois pequenos bancos traseiros que podem ser rebatidos para aumentar o espaço do porta-malas – ocupado inteiramente pelo estepe.

A linha 2014 do modelo passa a ter de série sistema multimídia com GPS e tela de 7” com rebatimento elétrico. Tem rádio CD/ MP3, entradas USB/ iPod, bluetooth e áudio com amplificador de 240W e seis alto-falantes. Entre os itens de conveniência, ele traz ar-condicionado de duas zonas, assistente de partida em subidas e para-brisa acústico. Se você faz questão de um esportivo, que tal um RCZ?