Um pedaço da Ucrânia

Com a denominação de “Terra das Cachoeiras Gigantes”, a cidade de Prudentópolis tem em suas belezas naturais a atração principal. A região chega a lembrar, em certos momentos, recantos da Europa. Além de vales, cânions, florestas de araucárias e campos, dizem existir por lá 100 cachoeiras ao todo. Algumas são bem fáceis de visitar, outras estão em propriedades particulares e outras são de difícil acesso. Estão relacionadas, com distâncias e alturas das quedas, pelo menos umas 50. Mas essa região no centro do Estado do Paraná tem muito mais a oferecer. A tradição, a cultura, o folclore e a culinária dos ucranianos e poloneses continuam preservados e vivos, mais do que em suas terras de origem. As primeiras famílias de colonizadores eram polonesas, que começaram a chegar em 1895. No ano seguinte, chegaram 1.500 famílias, com oito mil imigrantes ucranianos, os que melhor se adaptaram ao local.

Deixando de lado se são 50 ou 100 as cachoeiras, vamos apresentar as mais importantes quedas da região e a escolha vai depender muito da disposição de quem for fazer os passeios. Alguns viajantes conseguem visitar cinco ou seis cachoeiras em um único dia, enquanto outros, depois de duas ou três, já estarão bastante esgotados.

 


PLANEJE SUAS VISITAS ÀS CACHOEIRAS

É aconselhável que você planeje seu roteiro antes de começar a viagem, escolhendo as cachoeiras a serem visitadas e reunindo referências sobre o caminho. Isso é muito importante, pois não existe nenhuma informação, mapa ou roteiro da Secretaria de Turismo. Você precisará, muitas vezes, contar com a boa vontade dos moradores para conseguir informações. Procure a Carla, que trabalha no Mayná Palace Hotel, ela é uma pessoa que pode lhe dar ótimas dicas.

Leve água e um lanche para emergências. Com exceção do Recanto Perehouski, onde é possível encomendar almoço, não existem locais para refeições. Perto desse recanto, visite também as cachoeiras Mlot e São Sebastião e o Ninho do Corvo, local para pratica de tirolesa, rapel e cascading. Seguindo pelo caminho da Linha Vista Alegre, distante 56 km da cidade, está o Salto São Francisco, sem dúvida o mais bonito da região. É a maior cachoeira do Sul do Brasil, onde o Rio São Francisco despenca de uma altura de 196 m e segue por um cânion margeado de florestas. No mesmo caminho, ainda no rio São Francisco, fica a Cachoeira Menor, com 14 m. Em outro roteiro, saindo da BR-373, visite o Recanto Rickli, o Salto Mandurí e o Salto Barão do rio Branco, no rio dos Patos. Nesse rio é possível praticar rafting. Se você tiver mais tempo, visite também o Salto São João (84 m), Salto São Sebastião (120 m), Salto Jacutinga (85 m), Salto Virgílio (60 m) e Salto dos Papagaios (100 m).

ARTESANATO E CULINÁRIA UCRANIANOS

Para entender um pouco a cultura desse povo que, adotou um pedaço do Paraná como sua pátria, visite o Museu do Milênio. Administrado pela dona Mieroslava, o museu tem loja de artesanato e um acervo de peças muito interessantes. As peças mais tradicionais do artesanato local são as pessâncas, cascas de ovos pintadas com figuras. Esse costume vem desde a era pré-cristã e simboliza a Páscoa, as crianças e a humanidade. Quando a fome apertar, aproveite para experimentar algumas das especialidades da cozinha ucraniana na Churrascaria Penteado. As opções vão desde a Crakovia, um embutido que lembra um pouco o lombo canadense, porém mais saboroso e temperado, até um Borsht, uma deliciosa sopa de beterraba e repolho roxo. Encomende antes o que vai comer e para quantas pessoas.

Ao fundo, nossa picape atravessa o rio São Francisco que, em um trecho de queda, forma a maior cachoeira do Sul do Brasil

Informe-se sobre os roteiros. A Secretaria de Turismo tem poucas dicas para dar aos viajantes e as placas são escassas

SHARE
Artigo anteriorA nova cara da Chevrolet
Próximo artigoMotorNews