Um pouco do Mazda 787B

Divulgação

Há tempos queria escrever sobre este bólido, mas estava guardando este post para uma ocasião especial. No próximo final de semana (13 e 14 de junho) acontece a mais tradicional prova do automobilismo: às 24 horas de Le Mans, que é realizada desde 1923, no circuito La Sarthe, na França. A vitória da primeira edição foi conquistada pelos franceses André Lagache e René Leonard a bordo do Chenard & Walcker Sport 3-Litre (foto). Contudo, a prova de Le Mans deixou de ser organizada em 1936 graças a greve dos trabalhadores e, entre 1940 e 1948, devido à segunda guerra e a reconstrução da Europa. De volta em 1949, a vitória ficou para o americano Luigi Chinetti e o britânico Peter Mitchell-Thomson, com sua Ferrari 166MM.

Para mim, um dos carros mais emblemáticos a disputar Le Mans foi o Mazda 787B. Esse bólido projetado por Nigel Stroud foi a evolução do modelo 767B. Entretanto, com aperfeiçoamentos, como o novo motor aspirado 2.6 rotativo Wankel de três rotores (R26B) substituiu o 13J (também aspirado de 2,6 litros). A potência de 900 cv era diminuída para 700 cv durante as corridas para privilegiar a durabilidade. Além disso, o radiador foi parar na dianteira do carro – antes ficava dentro da cabine próximo ao banco do piloto. A transmissão manual de cinco marchas era da Porsche, mas modificada pela Mazda. A carroceria do 787B levava fibra de carbono e Kevlar em sua construção para beneficiar a leveza – o peso era de 830 quilos.

O momento de glória veio em 1991, com a vitória das 24 horas de Le Mans pelo Mazda 787B da equipe MazdaSpeed pilotado por  Johnny Herbert, Volker Weidler e Bertrand Gachot. Mais do que isso, ele foi o primeiro bólido japonês a vencer Le Mans.