Um príncipe em Mônaco

0
79
MARCUS WERNER

A Audi não poderia escolher cenário melhor para lançar o novíssimo A3 Cabriolet: Mônaco. Famoso pelas corridas de Fórmula 1, o Principado de Mônaco reúne todas as características de charme e estilo que combinam com um conversível: endereços exclusivos, altíssimo poder aquisitivo, a tradição da realeza e a beleza natural da Riviera Francesa. O clima colaborou: fazia sol, mas não estava muito calor – a combinação perfeita para andar com um carro sem capota. Por isso, ao entrar no Audi A3 Cabriolet, a primeira coisa que fi z foi baixar a capota, que é de lona, numa operação que levou 18 segundos e também poderia ser feita com o carro em movimento até a 50 km/h.

Dar uma volta no circuito de Monte Carlo (praticamente todo em mão dupla nos dias normais) é o básico para os fãs de F1 que visitam Mônaco, mas na verdade é “impossível” fazer um test drive de verdade somente no Principado. Por isso, vencidos alguns túneis (sim, há inúmeros lá, além daquele que aparece na Fórmula 1), saímos direto numa das estradas que levam a Nice, a principal cidade da Riviera Francesa. Então, rodando em autoestradas, em vias de mão dupla, no trânsito das cidades ou subindo as estradinhas das altas montanhas da região, foi possível conhecer muito bem o novo Audi A3 Cabriolet.


Ele é mais bonito “ao vivo” do que nas fotos. Suas linhas são muito limpas e, em torno de toda a parte superior da carroceria, um friso cromado percorre o alto e as laterais do para-brisa, as portas, as partes traseiras e o lado de cima do porta-malas. Esse simples detalhe marca muito bem o carro e faz uma bela divisão entre o aço e a lona quando a capota está levantada. Em relação à antiga geração, o A3 Cabrio aumentou 18 centímetros no comprimento (que agora é de 4,42 metros) e dois centímetros na largura e na distância entre-eixos. Em compensação, “emagreceu” cerca de 60 quilos (ele passou a pesar 1.345 quilos). O capô do motor é feito de alumínio.

Um conversível não é necessariamente um esportivo. Mas o A3 Cabriolet tem uma “pegada” para esse lado. O modelo importado para o Brasil a partir de junho terá motor 1.8 TSFI com potência de 180 cv. Na Europa, o carro também utilizará o 1.4 turbo a gasolina e o 2.0 TDI a diesel. Junto com o motor turbo de 1,8 litro, o A3 Cabrio chegará com o ótimo câmbio automatizado S tronic de sete marchas, com dupla embreagem, e a tração integral Quattro. O torque do motor de 1798 cm3 é de 25,5 kgfm, disponíveis entre 1.250 e 5.000 rpm. Claro que o A3 Cabrio não é um foguete como seus irmãos esportivos (leia reportagem na página 32), mas sua combinação de peso, potência e torque permite dirigi-lo de forma bastante prazerosa.

A vida a bordo é confortável, não apenas para quem conduz, mas também para quem vai de carona. Os sistemas de áudio, navegação e climatização funcionam muito bem com a capota baixada. Uma tela removível que fica atrás dos bancos da frente impede que a turbulência estrague o penteado dos passageiros (um assunto sério quando se tem uma mulher a bordo) e o acesso aos comandos é intuitivo, como é comum nos modelos da Audi. Ao volante o prazer é ainda maior. Mesmo com “apenas” 180 cv no motor, o A3 Cabriolet é capaz de acelerar de 0-100 km/h em 7,8 segundos e de atingir a velocidade de 242 km/h. Na Europa, sua emissão de CO2 é de 133 g/km, um número razoável. Mas um dos itens mais importantes deste conversível não está à vista: trata-se de dois elementos de aço que se abrem na traseira, formando um santantônio com as colunas A, em caso de capotamento.

Como a proposta do A3 Cabriolet não é ser um carro esportivo, mas sim um carro para desfrutar de passeios interessantes, talvez o ponto alto deste Audi esteja em seu sistema multimídia. Para além de um excelente navegador por GPS com tela de sete polegadas, o MMI Navigation Plus permite conexão à internet com rápido padrão de transmissão para downloads e todas as regalias permitidas por esses aparelhos, inclusive na segurança da direção. Além disso, o carro vem equipado com Park Assist. O novo Audi A3 Cabriolet é produzido em Gyor, na Hungria, e começa a ser vendido na Europa no início de 2014. Para o Brasil estão previstas 50 unidades/ano a um preço estimado de R$ 150.000.

Ah, sim, eu também não poderia deixar de dizer que o novo A3 Cabrio fez a volta no circuito de Mônaco em 9min34s. Parece muito? Para um percurso que contou com vários semáforos, pista de mão dupla, pedestres atravessando a rua, tráfego intenso e, principalmente, obras na região das piscinas, tem piloto de Fórmula 1 que faz a volta em 1min15s e não fica tão feliz como se estivesse num conversível da Audi. Afinal, a pole em Monte Carlo este ano ficou abaixo de 1min14s.

SHARE
Artigo anteriorNo Mundo da fantasia
Próximo artigoAcima da média