Um Salão quase brasileiro

Sem a maturidade dos salões de Genebra, de Frankfurt e de São Paulo, a mostra de Buenos Aires acontece a cada dois anos e, nesta sexta edição, de 20 a 30 de junho, carimbou o passaporte de alguns importantes lançamentos para o Brasil. Entre os destaques está a terceira geração do Ford Focus nas versões hatch e sedã confirmadas para setembro. O modelo trará o motor Sigma 1.6 16V com duplo comando de válvulas (TiVCT) e um 2.0 16V. Também será oferecido o câmbio automatizado PowerShift de seis marchas já utilizado no novo EcoSport e no New Fiesta.

Apesar de não confirmada pela VW, a sétima geração do Golf mostrada na Argentina é aguardada aqui para o segundo semestre deste ano. Por lá, ele apareceu nas versões 1.4 TSI e esportiva GTI com motor 2.0 turbo e 220 cv. O compacto VW up! que estava no salão, ao contrário do esperado, não era o nacional, mas sim o alemão, que traz algumas diferenças, entre elas, o teto panorâmico e a tampa do porta-malas maior. No Brasil, o “nosso” up! terá o bloco tricilíndrico do Fox Bluemotion

Com os dias contados está o Citroën C4 Pallas – em setembro, ele dará lugar ao C4 Lounge. O novo três volumes terá opção de motores 1,6 litro turbinado de 163 cv e 2,0 flex de 151 cv (com etanol). “O Toyota Corolla e o Honda Civic são dois grandes sucessos e acreditamos que temos condições de lutar por boas posições neste ranking”, afirmou Francesco Abbruzzesi, presidente da Citroën.

Também de olho nesse segmento, a Nissan apresentou a nova geração do Sentra. Tanto ele como o Altima (con ra a avaliação na página 60) estão agendados para o fim de 2013. Já o Chevrolet Cruze apareceu com leves retoques na dianteira. A Peugeot deixou a linha do 408 e a do 308 mais competitiva. Os modelos receberam a transmissão automática de seis marchas das suas versões turbo e as vendas começam em setembro. Quem também chega com novidades é o Renault Fluence, que passa a ter o painel digital da variante esportiva GT.

A nova geração do Renault Logan abdicou das linhas quadradas e assumiu uma personalidade mais jovial. Segundo a marca, o modelo chegará primeiro no Brasil (em setembro) e depois na Argentina (no primeiro trimestre de 2014). Já o seu irmão Sandero segue sem mudanças. O Clio de quarta de geração não será vendido por aqui.

Nos familiares, a estrela da GM foi o Tracker que ainda não tem definida a sua data de chegada ao Brasil – um dos impedimentos são as cotas de importações para veículos do México. Na Argentina, o utilitário compacto será oferecido nas versões Plus e LTZ com tração 4×2 ou 4×4. A Ford incrementa sua oferta de SUV com o Kuga, conforme adiantamos na edição de fevereiro de 2010. O modelo, que é produzido na plataforma do Focus, deve ser inicialmente importado, mas, dependendo da aceitação, poderá ser produzido na Argentina e se tornar ainda mais competitivo em nosso mercado.

Entre os esportivos e conversíveis, ainda não é certa a vinda do charmoso Citroën DS3 Cabrio. “Estamos estudando a viabilidade de importar o modelo. O mercado de conversíveis no Brasil é pouco expressivo, mas poderia ser uma opção para completar a gama DS”, comentou Francesco Abbruzzesi. A Chevrolet mostrou o Camaro 2014 com leves retoques na dianteira e uma traseira totalmente remodelada. Por aqui, ele chega até o fim deste ano. O Peugeot RCZ também virá revigorado, em julho, com um facelift na dianteira. Já as importações do 208 GTI estão confirmadas para o próximo ano.

No mercado de luxo, a Mercedes anunciou a vinda da nona geração do Classe E. O sedã deve chegar no começo deste mês ao Brasil. Já suas variantes Coupé e Cabrio chegam até o fim de julho. E entre o fim de agosto e início de setembro, a versão E 63 AMG dará o ar da graça nas revendas da marca.