Vaga de estacionamento é vendida por R$ 6,6 milhões em Hong Kong

Território da China é conhecido por concentrar os imóveis mais caros de toda a Ásia

0
240
Vaga de estacionamento é vendida por R$ 6,6 milhões em Hong Kong
Vaga de estacionamento é vendida por R$ 6,6 milhões em Hong Kong

A combinação de uma área total menor do que a da cidade do Rio de Janeiro com o fato de ser um dos principais centros financeiros do mundo faz com que morar em Hong Kong seja incrivelmente caro. Uma prova disso é o fato de uma vaga de estacionamento na ex-colônia britânica (hoje um território autônomo da China) ter sido vendida recentemente por 10,2 milhões de dólares de Hong Kong (cerca de R$ 6,6 milhões).

+ Cartão de estacionamento para idoso poderá virar digital; saiba mais
+ Projeto de lei quer aliviar multa por estacionar em calçadas ou ciclovias
+ Veja 5 infrações de trânsito que não geram pontos na CNH
+ Avaliação: Aston Martin DBX, o primeiro SUV da marca (até tu, Bond?)


De acordo com uma reportagem da BBC, a vaga é está localizada no The Peak, um condomínio residencial ultraluxuoso localizado no monte Nicholson, local que permite uma visão privilegiada de todo o território. Só o aluguel de um imóvel por lá sai em torno de 210.000 dólares de Hong Kong (R$ 137 mil) por mês.

Com as restrições às construções impostas pelo governo local, as vagas de estacionamento acabaram se tornando uma opção de investimento “imobiliário”, o que fez os preços subirem muito nos últimos anos. O recorde anterior de valor pedido por um vaga de estacionamento era de 980.000 dólares de Hong Kong (cerca de R$ 639 mil na cotação atual) e havia sido atingido em 2019.

Mais na Motor Show

+ Carros PCD: Câmara aprova novo teto de R$ 140 mil
+ Volkswagen anuncia recall do Gol e de mais três modelos
+ Avaliação: Aston Martin DBX, o primeiro SUV da marca (até tu, Bond?)
+ Um Opala injetado de fábrica? Conheça o Opel Commodore GS/E
+ Veja 5 situações em que os airbags frontais não vão abrir
+ Chevrolet Bolt EV e Bolt EUV ganham preparação de carro de polícia nos EUA