Vai mudar, mas não precisava

Mesmo vendendo cerca de cinco mil Strada por mês e liderando o ranking de comerciais leves, a Fiat em breve pretende dar uma reformulada em sua picape. A maior novidade será o sistema com diferencial blocante para a versão Adventure, conforme anunciamos na edição passada (e é usada também na Palio Weekend desta edição).

O sistema dará à Strada maior capacidade de tração em caso de alguma roda travar ou perder contato com o solo. Isso tornará este 4×2 um pouco mais “fora-de-estrada”. Porém, quando a Fiat lançar a nova Strada, precisará repensar seu painel. Quem paga cerca de R$ 30 mil por ela merece um painel com conta-giros, coisa que falta neste modelo.

O carro avaliado, com motor 1.4 Fire Flex, tem potência e torque na medida certa. Os plásticos usados em seu acabamento são bons, assim como o estofado dos bancos. Detalhes que reforçam a boa ergonomia de seu interior, apesar dos materiais simples utilizados.

Ao dirigir a Strada, uma característica chama a atenção: as mudanças de marcha são suaves e têm encaixes precisos, resultando em uma boa dose de conforto ao rodar. Mas a visibilidade deixa a desejar, principalmente no momento em que o motorista precisa do retrovisor: a coluna do pára-brisa atrapalha a visão. No quesito segurança em curvas, a picapinha se mostrou confiável e estável, mesmo calçada com pneus aro 14″ e medidas 175/70. Bem que a Fiat poderia ter colocado pneus um pouco mais largos.

Portanto, se você está pensando em adquirir uma picape e está em dúvida, a Fiat Strada é um modelo que não pode ficar fora de sua lista de opções, mesmo prestes a ser modificada pela montadora italiana.

O painel tem acabamento adequado, mas um conta-giros seria bem-vindo. Abaixo, o ar-condicionado: o botão liga/ desliga é pouco vísivel de dia

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar