Verdadeira raridade

Quando acabei de tirar as compras do portamalas da Passat Variant, apertei o botão de fechamento elétrico da tampa traseira. Ela começou a se fechar e ouvi do meu filho de três anos: “Mãe, esse carro é mágico!” Imediatamente sua irmã, de dez anos, disparou: “Isso não é nada, Enzo, esse carro estaciona sozinho.” Aí precisei fazer demonstrações do Park Assist II para matar a curiosidade do pequeno. Assim que o sistema identificava uma vaga em que o carro coubesse, pedia que eu engatasse a ré, soltasse o volante e controlasse o freio. Em instantes, estava dentro da vaga. Sensacional. Na nova função, que identifica vagas perpendiculares, o assistente não é tão habilidoso: deixa passar vagas e, às vezes, para sobre as faixas. Ainda assim, uma bênção. Nem tanto por estacionar, mas por medir a vaga.

Passat Variant TSI

MOTOR quatro cilindros em linha, 2,0 litros, 16V, comando variável, injeção direta, turbo

TRANSMISSÃO manual automatizada, seis marchas, dupla embreagem, tração dianteira

DIMENSÕES comp.: 4,77 m – larg.: 1,82 m – alt.: 1,49 m

ENTRE-EIXOS 2,712 m

PORTA-MALAS 513 litros

PNEUS 235/45 R17

PESO 1.514 kg

• GASOLINA

POTÊNCIA 211 cv de 5.300 a 6.200 rpm

TORQUE 28,5 kgfm de 1.700 a 5.200 rpm

VEL. MÁXIMA 210 km/h (limitada) 0 – 100 km/h 7s6

CONSUMO cidade: 10,5 km/l / estrada: 16,4 km/l

CONSUMO REAL cidade: 8,1 km/l / estrada: 11,6 km/l

A bordo, durante uma semana, não ouvi ninguém se queixar de nada. E olha que são exigentes! Nos passeios de fim de semana, as crianças foram apresentadas a outros “truques” do carro: o sistema que identifica o cansaço do motorista e o que controla a distância do carro à frente e CONTRAPONe aciona o freio – tecnologias que não são novidade em modelos mais caros. A Variant pode passar de R$ 140 mil com esses opcionais, mas vale o que custa.

O interior é refinado e muito bem-acabado, e o para-brisa com vidro com vidro duplo garante o silêncio dentro da cabine. O espaço interno, é amplo, e a lista de equipamentos, mesmo sem os opcionais, bastante adequada

Aprovada pelas crianças, era hora de a perua mostrar se poderia ser mais do que um bom familiar. O motor 2.0 turbo movimenta o modelo com facilidade absurda, sem rispidez ou ruídos incômodos. Mas, mais uma vez, o que me impressionou foi o câmbio com dupla embreagem. É difícil acreditar que se trata de uma transmissão automatizada e que há engates sendo feitos. Não há trancos, não há demora, nada. As trocas não são sentidas, são vistas no conta-giros. Nas curvas, as suspensões trabalham de forma brilhante e os sistemas eletrônicos não deixam o motorista abusar. Entram cedo para garantir a segurança. Afinal, não se trata de um esportivo.

Se compraria? Sim. Primeiro porque o carro é fantástico; segundo porque gosto de SW e não há muitas opções; terceiro porque não existe uma perua do novo Jetta. Se existisse, custaria menos e ofereceria quase o mesmo. Nesse caso, que me perdoe a inocência dos meus filhos, a Passat Variant perderia muito de seu encanto.

Contra ponto

● Não me encantei tanto com os penduricalhos que a Volkswagen colocou na charmosa perua. Claro que a abertura automática da tampa do porta-malas e a facilidade de estacionar automaticamente ajudam bastante, mas, no meu modo de ver, não seriam decisivas na escolha da Passat. Fiquei impressionado mesmo com sua dinâmica, principalmente na estrada: seu rodar é seguro e estável, e a direção é precisa e segura mesmo nas velocidades mais altas. Além disso, as respostas do motor 2.0 turbo beiram a perfeição. Quem curte uma condução fina, suave e redonda, mas ao mesmo tempo gosta de respostas agressivas e rápidas ao comando do acelerador, vai se deliciar com a performance do motor de quatro cilindros. Ele fala como se fosse um V6, mas gasta pouco combustível, como se fosse um motor ainda menor. E seu câmbio de seis marchas é um legado da engenharia: trocas imperceptíveis e rapidez impressionante marcam esse câmbio de dupla embreagem. A meu ver, aprovadíssima!

Dougla Mendonça| Diretor de redação

OS CONCORRENTES

Citroën C5 Tourer

“É a concorrente mais próxima em preço e porte. É igualmente luxuosa e europeia, mas não tem motor e câmbio tão brilhantes” Flavio R. Silveira

Hyundai ix35

“Na falta de opções de peruas no mercado, por que não fazer como a maioria e comprar um SUV ou um crossover como este?” Bruna Marconi

Audi A4 Avant

“Na versão básica, custa o mesmo que a Variant com todos os itens ‘mágicos’ opcionais e é menos potente. Mas trata-se de um Audi.”

Rafael Poci Déa

COMPARTILHAR
Notícia anteriorC3 Picasso o Aircross urbano
Próxima notíciaBeleza americana