Versão de entrada? Sim, e com orgulho

Quando um carro chega ao mercado, as marcas costumam mostrar as versões top e esconder as de entrada. Questão de marketing: a estratégia é usar a tecnologia e os atrativos desses modelos para atrair clientes para as concessionárias: eles vão ver os carros com os quais sonham e saem com os que podem pagar. No caso do New Fiesta, que acaba de ser nacionalizado, a Ford mostrou primeiro a versão 1.6 Titanium com o câmbio automatizado opcional, mas logo ofereceu essa configuração 1.5 S,a mais barata. A diferença de preço é enorme: pouco mais de R$ 16 mil separam o top de linha desse modelo, vendido por interessantes R$ 39.890.

O fato é que a marca não tem por que esconder esse New Fiesta. Faltam itens como rodas de liga-leve e há falhas graves (mas comuns no segmento) como a ausência de alto-falantes e vidros elétricos traseiros e banco bipartido. Além disso, o acabamento e o sistema de som são mais simples, é verdade. Apesar disso, ainda se trata de uma versão de entrada respeitável: tem airbag duplo, freios com ABS, ar-condicionado, direção elétrica, trio elétrico, ajuste de altura e profundidade do volante e chave com destravamento à distância, entre outros itens.

Mas esse New Fiesta conquista mesmo é ao volante. A posição de dirigir é ótima, graças aos amplos ajustes de altura e profundidade do volante e de altura do banco, e as respostas ao acelerador, principalmente na cidade, são rápidas e eficientes (na estrada, não decepciona, tampouco empolga). Mérito do motor 1.5 com potência respeitável – até 111 cv – e comando variável, que ajuda a manter o consumo baixo (embora discretamente maior que o do 1.6). O câmbio manual de cinco marchas tem bons engates, embora o pedal da embreagem seja pesado. A direção elétrica é precisa, com peso corretíssimo e direta na medida certa. Está entre as melhores do mercado hoje.

Em resumo, um conjunto ótimo para seu preço, com poucas falhas. Falando nisso, quando se usa um pen drive na entrada USB, o visor do som fica tampado. Um defeito bobo, mas irritante. Não tira, porém, o brilho dessa versão de entrada.