Volkswagen ganha mercado com ID.3 (que virá ao Brasil); veja o teste rápido

0
42
Foto: Divulgação

A Volkswagen avança com a venda de carros elétricos na Europa com o ID.3. Até no final de setembro, já havia registrado cerca de 144 mil pedidos, sendo que deste total aproximadamente 50% dos clientes não haviam dirigido um Volkswagen antes, de acordo com um estudo encomendado pela marca.

“O ID.3 atingiu um número acima da média de novos compradores para a Volkswagen. Cerca de 70 mil novos clientes é a prova de que estamos no caminho certo com este veículo e com nossa estratégia de mobilidade elétrica ”, disse Klaus Zellmer, membro do Conselho de Vendas, Marketing e Pós-vendas da Volkswagen, em nota divulgada.

+ Volkswagen T-Cross tomará lugar de Fox em planta no PR
+ Volkswagen Kombi ganha novo kit motorhome da Lego


A montadora, recentemente, confirmou a vinda do ID.3 ao Brasil – ainda sem data de lançamento. Por isso, conheça melhor o modelo com o teste rápido abaixo:

Reportagem de Lorenzo Facchinetti e tradução e edição de Flávio Silveira – conteúdo publicado na Motor Show em 21 de outubro de 2020

Volkswagen ID.3, Fusca da era elétrica, está mais para Golf

Há quem o compare o Volkswagen ID.3 ao Fusca por causa do significado histórico: se o primeiro foi o símbolo do renascimento industrial da Alemanha pós-guerra, o novo Volkswagen elétrico é um marco da revolução elétrica da Volks, pois estreia a plataforma MEB, que servirá a muitos modelos VW, Audi, Seat, Skoda… e até Ford!

Posso comparar o Volkswagen ID.3 ao Fusca também por causa do motor e tração traseiros. A unidade elétrica de 204 cv e 31,6 kgfm fica no eixo posterior, e isso garante vantagens dinâmicas indiscutíveis: distribuição de peso ideal, maior liberdade de direção para as rodas dianteiras (raio de giro igual ao do Polo) e uma direção limpa e cristalina.

AO VOLANTE

Tudo pelo prazer de dirigir, sensação que o Volkswagen ID.3 entrega com seu equilíbrio invejável: faz curvas bem, acelera gradualmente, e, como a frente direciona o carro, seu volante não mostra reações inesperadas. Bem diferente do elétrico “all-forward” (“tudo na frente”), no qual a direção luta com doses consideráveis ​​de torque descarregados no solo.

Os freios são adequados na modulação e mordida, e a posição B, para regenerar energia, é bem calibrada: a intensidade da desaceleração deixa usar o pedal da esquerda só em frenagens fortes – e sem desencadear o incômodo efeito elástico típico.A “puxada” é a esperada de um carro a bateria dessa potência – instantânea, mas não brutal. Chega a 100 km/h em 7s3, e a máxima é de 160 km/h para poupar autonomia.

Neste primeiro teste, o Volkswagen ID.3 fez uma média de 6,53 kWh/km em rota mista. A autonomia inicial, com 95% de bateria, era de 330 quilômetros, contra declarados 426 quilômetros. Isso na versão Pro Performance, de 58 kWh. Quem roda mais pode optar pela Pro S, com 549 quilômetros de autonomia e recarga em corrente de 125 kW (100 kW na Pro).

A CABINE

A cabine agrada pela leveza. Espaço e visibilidade são ótimos, graças às janelas generosas e à colunas finas e inclinadas, que não criam pontos cegos. Espaço não falta, pois o entre-eixos é de 2,77 m – só 2 cm menos que no Passat, apesar do comprimento de 4,26 m, só 2 cm menos que no Golf.

Aliás, o porta-malas dos dois é quase igual em tamanho: são 385 litros. Mas os materiais não são os mesmos: além de muito plástico rígido por toda parte, exceto no centro do painel, não há elementos de acabamento – como detalhes de tecido – para enriquecer um pouco a impressão geral.

Mas não dá para criticar a funcionalidade: o túnel central tem muitos porta-objetos, e a tela multimídia é bem desenhada. O display de 5,3” integrado à coluna de direção é fácil de ler em qualquer condição e mostra, claramente, o necessário: velocímetro, autonomia, navegação e sistemas de assistência. Para dados detalhados, a tela central de 10,1” tem interface fácil de assimilar.

Já disponível para encomendas no mercado europeu, com entregas no primeiro trimestre do ano que vem, o Volkswagen ID.3 com bateria de 58 kWh tem seis configurações entre € 38.900 a € 48.200. A versão Tour de 77 kWh custa € 48.900, enquanto o ID.3 de 146 cv com bateria de 45 kWh (330 km de autonomia) chega no próximo ano para cumprir a promessa inicial: preço de € 30 mil (R$ 185 mil). No Brasil, o ID.3 deve aparecer no fim de 2021, provavelmente na faixa acima de R$ 200 mil.

VW ID.3 Pro Performance
Preço básico (estimado) € 30.000
Carro Avaliado € 38.900 (R$ 243.000)

Motor: traseiro elétrico síncrono
Combustível: a bateria
Potência: 204 cv
Torque: 31,6 kgfm
Câmbio: caixa de redução
Direção: elétrica
Suspensões: n/d
Freios: n/d
Tração: traseira
Dimensões: 4,26 m (c), 1,81 m (l), 1,55 m (a)
Entre-eixos: 2,77 m
Pneus: n/d
Porta-malas: 385 litros
Bateria: íons de lítio, 58 kWh
Peso: n/d
0-100 km/h: 7s3
Vel. máxima: 160 km/h
Consumo médio: 6,5 km/kWh
Emissão de CO2: zero g/km
Nota A (EUROPA)
Autonomia: 426 km
Nota do Inmetro: n/d

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Você sabe como funciona o novo limite de pontos da CNH? Veja como consultar
+ Ford exibe tecnologias do Bronco em guia 360º; conheça
+ Stellantis constrói liderança no Brasil e na Argentina
+ Carro Usado: Jeep Compass a diesel reúne versatilidade e valentia
+ Fiat Pulse vai receber motor 1.0 turbo de 130 cv
+ Gol GTI: confira as versões do clássico que fazem mais sucesso
+ Leilão oferece motorhome a partir de R$ 18,5 mil
+ Petrobras reajusta gasolina em R$ 0,20; medida entra em vigor no sábado
+ Recusar teste de bafômetro pode suspender CNH; veja o valor da multa
+ Metade dos americanos espera que carros elétricos sejam maioria em 15 anos