Avaliação: VW Golf 1.0 é um ótimo carro; compre antes que acabe

Com motor turbo, o VW Golf 1.0 Comfortline é excelente de dirigir e se destaca pelo consumo e pelo desempenho. Pena que perdeu seu lugar para o SUV T-Cross

“Muito dinheiro para um carro 1.0”. Escutei a frase algumas vezes durante minha breve convivência com o VW Golf 1.0 Comfortline. Um hatch 1.0 com preço acima de R$ 90 mil? Sim, exatos R$ 91.790. Mas que zero-quilômetro você compraria por esse valor? Entraria na modinha dos SUVs? Botaria mais grana no rival Chevrolet Cruze Sport6, com motor 1.4 turbo? Ou escolheria um usado? Eu ficaria de Golf, e digo por quê.

Primeiro porque ainda é um Golf. É verdade que desde que essa geração foi lançada, ainda em 2014, muita coisa mudou nele. Era importado da Alemanha, passou a vir do México e, finalmente, a ser feito aqui. Nesse caminho, perdeu a suspensão traseira independente, o freio de mão elétrico, mas continua sendo um Golf. Dinamicamente superior aos SUVs, com centro de gravidade mais baixo e direção mais precisa. Quanto ao espaço, três pessoas viajam bem atrás – mas o porta-malas acomoda só 313 litros.

E não venha com esse tal papinho de que carro “mil” não é bom. O motor 1.0 turbo é mais eficiente, potente e econômico que outros de deslocamento bem maior. Seus 128 cv e, principalmente, os 20,5 kgfm de torque disponíveis em baixas rotações, dão agilidade ao hatch na cidade e nas retomadas, e sempre com consumo contido – 11,4 km/l na cidade e 14,2 km/l na estrada com gasolina, segundo os dados do PBEV, mas consegui superar a média de 16 km/l na Dutra em diversos trechos de uma viagem entre o Rio e São Paulo. A relação entre o motor TSI e a transmissão automática de seis marchas, entretanto, poderia ser mais bem resolvida. A caixa “vacila” em alguns momentos na hora de reduzir.

Mesmo se tratando de uma versão de entrada, o Golf Comfortline tem um bom pacote de equipamentos, com sete airbags, central multimídia, monitor de pressão dos pneus, retrovisor eletrocrômico, piloto automático, volante multifuncional com aletas, DRLs de LED, além de ESP, sensores de estacionamento e câmera de ré. Opcionais, só o teto panorâmico, as rodas aro 17 e a pintura metálica, que fazem esse Golf passar de R$ 100 mil.

A única coisa que pode deixar uma pulga atrás da orelha é o futuro desse hatch. Será que veremos a oitava geração dele aqui? Porque, na semana passada, a Volks anunciou que havia interrompido a produção do modelo nas versões 1.0 e 1.4, para dar espaço ao SUV T-Cross. Então, se você ficou interessado no Golf, corra para tentar achar um ainda à disposição nas concessionárias.


Contraponto

Por Flávio Silveira

É difícil fazer o contraponto quando o carro é unanimidade como esse Golf. O mercado pode até andar o rejeitando, pois todos só querem saber de SUVs, como bem observou meu colega Panaro. Mas nenhum utilitário-esportivo de valor similar entrega o mesmo prazer ao volante desse Golf. E talvez nós, jornalistas especializados, nos apeguemos mais a certas características – dirigibilidade, precisão e dinâmica – do que a maioria dos consumidores, e por isso sempre tenhamos uma admiração especial pelo segmento de hatches médios.

Discordo do Panaro só em relação aos equipamentos: há muitos itens de segurança, mas senti falta dos bancos de couro, por exemplo, e acho errado a marca obrigar quem os quer – e alguns outros itens – a comprar a versão Highline, que, com motor 1.4 no lugar do 1.0, parte de altos R$ 112.190. Ah, e também achei o câmbio confuso, mas não me incomodou tanto dirigindo suavemente – e ao dirigir mais esportivamente, prefiro assumir as trocas pelas aletas no volante. Assim como o Panaro, compraria um Golf 1.0 sem pestanejar. É melhor do que qualquer “SUVinho”.

COMPRE SE…
Você quer um carro com dirigibilidade impecável e alta qualidade de construção, atualizado (quase 100%) com o modelo europeu.
Baixo consumo é fator importante para você, que prioriza a segurança e o conforto, sem fazer questão de desempenho mais forte.

NÃO COMPRE SE…
Você precisa de um porta-malas generoso, com espaço para levar as tralhas da família – principalmente com crianças envolvidas.
Quer um carro com posição de dirigir alta e mais robustez para encarar estradinhas de terra – nesse caso, um SUV pode se justificar.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES


Ficha técnica:

VW Golf Comfortline 200 TSI

Preço básico: R$ 91.790
Carro avaliado: R$ 100.790
Motor: três cilindros em linha 1.0, 12V, duplo comando variável, turbo e injeção direta
Cilindrada: 999 cm³
Combustível: flex
Potência: 116 cv a 5.500 rpm (g) e 128 cv a 5.500 rpm (e)
Torque: 20,4 a 2.000 (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas, modos Sport e manual
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira, diferencial eletrônico XDS
Dimensões: 4,255 m (c), 1,799 m (l), 1,468 m (a)
Entre-eixos: 2,638 m
Pneus: 205/55 R16 (opcional 225/45 R17)
Porta-malas: 313 litros
Tanque: 51 litros
Peso: 1.259 kg
0-100 km/h: 10s8 (g) e 10s3 (e)
Velocidade máxima: 187 km/h (g) e 192 km/h (e)
Consumo cidade: 11,4 km/l (g) e 8,0 km/l (e)
Consumo estrada: 14,2 km/l (g) e 10,2 km/l (e)
Emissão de CO²: 107 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: C (Médio)

blog comments powered by Disqus