Polo GTS e Virtus esportivo: saiba tudo sobre os novos VW

Com mecânica e visual exclusivos, versões apimentadas dos dois compactos chegam ao mercado em 2019

70717
Visual dos esportivos brasileiros será inspirado no Polo GTI alemão (Foto: Divulgação)

Os novos esportivos da família Polo já têm data para aportar em nosso mercado: abril de 2019. Eles chegam logo após o lançamento do SUV T-Cross, mais um membro dessa família Polo e que será apresentado ao público em janeiro de 2019. Mas agora estamos aqui para falar dos membros encrenqueiros e briguentos dessa família: O Polo GTS e o Virtus esportivo, que ainda não tem a sigla GTS sacramentada. Existe a dúvida interna se essa sigla cairia bem ao sedã Virtus, que apesar de ter a mecânica similar ao hatch, certamente terá uma apresentação de design mais discreta.

A primeira pergunta que muitos de vocês me fariam: “Por que GTS e não GTI”? Na realidade, internamente, a marca Volkswagen utiliza a sigla GTI apenas para os esportivos equipados com o motor 2.0 TSI e a sigla GTS fica destinada aos esportivos que utilizam o motor 1.4 TSI, que é o caso dos nossos novos esportivos. Mas não pensem que por utilizar o motor 1.4 os novos GTS serão frouxos. Com 150 cv de potência máxima e um torque vigoroso de 250 Nm (25,5 kgfm), que se inicia forte dessa forma já a 1.500 rpm, tem-se a verdadeira grandeza do desempenho muito bom tanto no hatch quanto no sedã.

Equipados com câmbio DSG de dupla embreagem e seis marchas, a expectativa é a de que tanto Polo quanto Virtus acelerem de 0 a 100 km/h na ordem dos 7,8 segundos e atinjam velocidades máximas entre 210 e 215 km/h. É bom lembrar que os GTI da família Gol nunca ultrapassaram a barreira dos 150 cv e nunca foram contemplados com um torque de 250 Nm, que já produz sua força máxima em 1.500rpm. Com essas novas tecnologias decorrentes do casamento perfeito do turbo e da injeção direta, além da dupla embreagem, que permite trocas de marcha em décimos de segundo, os esportivos andarão muito e gastarão pouco combustível. Com essa configuração e a ótima dinâmica do Polo e do Virtus, acho que esses carros marcarão sua época.

O s dois esportivos ainda terão freios de maior capacidade (com disco nas quatro rodas) e rodas de 17” com design exclusivo calçadas com pneus 205/50. O sistema de escapamento será refeito para melhorar a fluidez dos gases queimados e para proporcionar um ronco compatível com a proposta esportiva dos modelos. E uma ótima referência de design dos novos GTS é o Polo GTI europeu, esse sim com motor 2.0 TSI de 200cv e 320Nm (32,6 mkgf) de torque máximo.

Preços e mercado

Quanto vão custar os novos esportivos? A referência será o preço do Polo Highline que, quando equipado com todos os opcionais, custa pouco menos de R$ 80 mil. Como o GTS virá completo, com todos os opcionais do Highline, ele chegaria ao consumidor, se fosse vendido hoje, por cerca de R$ 95 mil. Já o Virtus também terá todos os opcionais do Highline e, se fosse vendido nos dias atuais, custaria na casa dos R$ 105 mil.

Você achou os preços altos? Eu também! Mas, devemos considerar que a VW sempre teve a política de seus produtos custarem mais caro do que os dos concorrentes. Oferecem mais? Algumas coisas… Mas não podemos deixar de lembrar que um Renault Sandero R.S. (confira a minha avaliação aqui), com a mesma proposta do Polo e do Virtus esportivos, custa pouco mais de R$ 60 mil e tem desempenho ligeiramente inferior, mas que, no frigir dos ovos, é praticamente o mesmo.

Nesse nosso caso, o Polo GTS, se fosse vendido atualmente, seria cerca de 50% mais caro que um Sandero R.S. Ele é melhor que o Renault? Sim. Mas não 50% melhor. Vamos esperar esses novos esportivos desembarcarem em nosso mercado, e com números mais concretos, poderemos analisar mais corretamente quem é quem nesse mercado de esportivos. Mas que o Polo GTS atiça, tenho que reconhecer que atiça mesmo.

Confira também o meu blog Carros&Causos, no site AutoPapo