VW T-Cross brasileiro vs. europeu: principais diferenças

Confira a seguir as principais diferenças entre os dois SUVs

10862
T-Cross europeu (Divulgação)

Revelado ontem (leia mais aqui), o SUV compacto VW T-Cross ganhou uma variação específica para o Brasil. Confira a seguir as principais diferenças entre o carro que será produzido em São José dos Pinhais (PR) e o T-Cross que será fabricado na Espanha para a Europa. Por aqui e lá fora, o modelo está previsto para chegar ao mercado no 1º semestre de 2019.

Carroceria

O T-Cross brasileiro tem entre-eixos 8,8 cm mais longo (2,651 m) e é quase 1 cm mais alto (1.568 m) que o carro europeu. Apesar de o visual externo ser praticamente o mesmo, o SUV para o Brasil tem grade frontal e para-choques exclusivos, saias laterais sem a pintura na cor da carroceria, e a opção do teto na cor preta.

Interior

Por dentro, o painel segue as mesmas linhas básicas do carro europeu. As diferenças estão nos materiais de acabamento e em detalhes como as saídas de ar centrais (mais simples no T-Cross brasileiro) e o volante, que no Brasil é o mesmo empregado no Polo e no Virtus.

Motor

Além de um 1.6 diesel de 95 cv, o T-Cross europeu também tem como opção menos potente a gasolina o motor 1.0 TSI, porém calibrado para desenvolver 95 cv ou 115 cv (no Brasil, são 128 cv). Já o motor mais potente é o novo 1.5 TSI de 150 cv, enquanto por aqui o propulsor das versões mais caras será o 1.4 TSI, que despeja os mesmos 150 cv.

Equipamentos

A Volkswagen ainda não anunciou a gama de versões do T-Cross brasileiro. Mas já revelou que, em sua configuração mais completa, o carro do Brasil terá itens como os faróis de LED, central multimídia com tela de 8″ com som premium Beats, teto solar panorâmico, painel digital configurável e sistema de estacionamento automático. Já no carro europeu, os destaques vão para itens como a frenagem automática de emergência com detector de pedestres, o assistente de manutenção em faixa e o piloto automático adaptativo, além do carregador de celular por indução.